*
 

O Distrito Federal foi condenado a indenizar, em R$ 4 mil, a viúva de um paciente do Hospital Regional de Ceilândia (HRC), em razão do extravio da aliança de casamento do marido, após a internação e o óbito dele no hospital, em 2017.

Na ação, a mulher pediu indenização por danos materiais e morais, depois de a aliança ter desaparecido da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do HRC, sem nunca ter sido restituída. A defesa da viúva também sustentou que nenhum procedimento interno foi instaurado para apurar o sumiço do objeto.

De acordo com a decisão colegiada, a administração pública foi omissa, por não ter resguardado os pertences do enfermo, que estava sob seus cuidados, nem instaurado procedimento para identificação de responsável pelo extravio.

A sentença destacou que a aliança é um símbolo da união do casal, das trajetórias pessoais e familiares de uma convivência por mais de 30 anos; e considerou que o desaparecimento do bem agravou os sentimentos de perda, angústia e revolta da autora diante do sofrimento pela morte do companheiro.

(Com informações do TJDFT)