Jacaré resgatado no Lago Paranoá passa por cirurgia no Zoológico

Procedimento demorou duas horas e contou com uma equipe de seis veterinários e um biólogo

atualizado 17/04/2019 11:17

O jacaré-tinga resgatado pela Polícia Militar Ambiental na madrugada desta terça-feira (16/04/19) passou por uma cirurgia de duas horas para a retirada de um arame engolido pelo réptil. A equipe responsável pelo procedimento é composta por seis veterinários e um biólogo, e pertence ao corpo de servidores do Jardim Zoológico de Brasília.

Inicialmente, acreditava-se que o animal havia engolido anzóis, possivelmente em uma tentativa de captura por caçadores. Porém, exames de raios X realizados antes e após o procedimento descartaram a presença do objeto.

Os profissionais fizeram um pequeno corte na região abdominal do jacaré e retiraram tudo que havia no estômago do bicho.

 

Segundo o Zoológico, não há como prever o período de recuperação do réptil, pois cada animal responde de um modo e já houve casos de jacarés que ficaram sete dias anestesiados. “Assim que os nossos veterinários analisarem o quadro dele e avaliarem se está realmente bem, iremos entrar em contato com o Ibama. São eles que decidem sobre a soltura”, informou o órgão por meio da assessoria de imprensa.

O jacaré-tinga foi resgatado pelo Grupo de Operações do Cerrado da PM após ter sido visto por trabalhadores das obras viárias, na Saída Norte, sob a Ponte do Bragueto.

No sábado (13/04/19), pessoas que estavam no local gravaram um vídeo. O Batalhão da Polícia Militar Ambiental (BPMA) foi acionado, mas não encontrou o animal.

Trata-se de um jacaré macho adulto, com 1,7 metro de comprimento e 42,1 quilos.

Últimas notícias