Isolamento despenca para 43% e DF fica em 9º lugar no ranking nacional

Os dados são referentes a segunda-feira (04/05). Levantamento do site Inloco é baseado em informações coletadas de localizadores em celular

atualizado 06/05/2020 12:06

Morados do guará fazem exercicio em periodo de quarentena na pandemiaHugo Barreto/Metrópoles

O índice de isolamento social durante a pandemia do novo coronavírus mais recente divulgado pelo site In Loco apresenta números abaixo dos 50% em todos os estados brasileiros e o Distrito Federal. Os dados são referentes a essa segunda-feira (04/05). A média nacional foi de 43,1% de adesão.

Na capital do país, a taxa de quarentena reduziu em cerca de um mês de 48,90% para 43,70%. Em primeiro lugar, está o Amazonas com 48,3% das pessoas que respeitam as regras da quarentena, seguido por Amapá (47,9%), Pará (47,3%) e Rio de Janeiro (47,2%).

Por outro lado, Tocatins aparece em último lugar com 37% de adeptos. Goiás está com 38,3% e Mato Grosso do Sul, com 38,7%.

Veja a lista:

Ranking Dos Estados (17) by Leonardo Meireles on Scribd

Índice ideal

Organização Mundial da Saúde (OMS) acredita que somente o índice próximo do ideal achatar a curva de crescimento da Covid-19 é a adesão de 70% à quarentena. De acordo com a entidade, as medidas de isolamento social são importantes para ganhar tempo, desacelerando o contágio, e dando tempo para os sistemas de saúde se fortalecerem.

O ranking de isolamento social é realizado pela empresa de software In Loco. Os especialistas usam apenas os dados de geolocalização de 60 milhões de dispositivos móveis do país. “Protegemos a privacidade das pessoas. Todos os dados do estudo são agregados e não coletamos informações de identificação civil (nome, RG, CPF) ou contas associadas (e-mail e telefone)”, garante mensagem no site.

0

Comparação

A comparação dos números no último mês mostra uma curva descendente em termos de adesão ao isolamento. Basta observar os índices divulgados no mês de abril na capital: 48,90% (06/04), 46,90% (13/04), 46,30% (20/04), 44,50% (27/04) e 43,70% (04/05).

O Brasil segue a mesma queda às segundas-feiras: 47,40% (06/04), 46,10% (13/04), 45,40% (20/4), 44,10% (27/04) e 43,10% (04/05).

Confira o gráfico do ranking nas últimas segundas-feiras de abril:

Últimas notícias