Ibaneis sanciona lei que cria a Universidade do Distrito Federal

Segundo o governador, nos próximos quatro anos serão investidos, aproximadamente, R$ 200 milhões na UnDF

atualizado 28/07/2021 12:39

Ibaneis RochaMilena Carvalho/ Metrópoles

O governador Ibaneis Rocha (MDB) sancionou, nesta quarta-feira (28/7), o projeto de lei complementar que autoriza a criação da instituição acadêmica Universidade do Distrito Federal (UnDF) Jorge Amaury. O projeto começou a tramitar na Câmara Legislativa do DF em março de 2020 e vinha passando por emendas e debates entre os parlamentares distritais.

O emedebista relembrou que foi companheiro do professor Jorge Amaury na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-DF) e ressaltou a ética e moral do amigo.

“Certamente a família chora muito o falecimento de Jorge Amaury, e com razão. Ele transformou a vida de muitas pessoas nesta cidade. Tive a honra de convidá-lo para criar o sonho de uma universidade nesta cidade”, assinalou o governador.

Ibaneis ressaltou que a Universidade do DF vai transformar a vida das pessoas. “Serão, nos próximos quatro anos, aproximadamente R$ 200 milhões investidos na Universidade do Distrito Federal. Teremos 3,5 mil cargos que já terão, a partir de agosto, o concurso público aberto no Distrito Federal. Nós já teremos o corpo profissional constituído. Essa universidade nasce completa e, daqui a cinco anos, que é nossa previsão, ela já estará totalmente implementada”, afirmou o chefe do Executivo local.

A secretária de Educação do DF, Hélvia Paranaguá, lembrou que os alunos da rede pública de ensino estão há 1 ano e 5 meses sem aulas presenciais. “A educação pública de qualidade passa por dois eixos. O primeiro é o constitucional, que é a garantia das aprendizagens dos nossos estudantes. O segundo é a formação dos nossos profissionais, e é onde entra o grande papel da UnDF e das demais universidades que preparam os nossos profissionais. A UnDF é importantíssima para a qualidade na educação pública do Distrito Federal”, destacou.

A expectativa é que a UnDF contribua para a meta de elevação da taxa bruta de matrícula na educação superior prevista no Plano Distrital de Educação – PDE 2015-2024 (meta geral do plano: aumento de 65%), ajude a melhorar a qualidade da educação superior e amplie a proporção de mestres e doutores do corpo docente em efetivo exercício no conjunto do sistema de educação superior do Distrito Federal.

Espera-se também que a universidade agregue esforços à formação de profissionais da Educação Básica pública para o DF, segundo o previsto na atual Lei de Diretrizes e Bases da Educação.

Jorge Amaury

Advogado e professor de direito da Universidade de Brasília (UnB), Jorge Amaury Maia Nunes, 66 anos, morreu em decorrência da Covid-19, no dia 2 de julho. O docente estava internado há 47 dias em uma unidade de terapia intensiva (UTI) e já havia recebido as duas doses da vacina contra o coronavírus.

Ele era egresso da Universidade Federal do Pará, onde também obteve o título de mestre. Em 2007, tornou-se doutor pela Universidade de São Paulo. Foi professor de direito processual na graduação, no mestrado e doutorado da Faculdade de Direito da Universidade de Brasília.

Além disso, foi presidente e membro honorário da Associação Brasiliense de Direito Processual Civil e diretor da Escola Superior de Advocacia da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Distrito Federal. Ex-consultor jurídico do Banco Central, era titular do escritório Amaury Nunes & Advogados Associados.

Mais lidas
Últimas notícias