Ibaneis garante concurso com 1,8 mil vagas para a PCDF neste ano

Ideia é publicar o edital entre abril e maio. Governo também anunciou proposta de reajuste para a categoria

Michael Melo/MetrópolesMichael Melo/Metrópoles

atualizado 19/02/2019 13:02

Além de anunciar a proposta de reajuste aos policiais civis, o governador Ibaneis Rocha (MDB) prometeu lançar concurso público para contratar 1.500 agentes e 300 escrivães da corporação.  A ideia é publicar o edital entre abril e maio deste ano.

A medida pretende recompor os quadros da polícia a médio e longo prazos. Sobre os concursos em aberto, o secretário de Segurança, Anderson Torres, antecipou que pretende chamar os aprovados ainda neste ano. “Nós temos vagas de papiloscopista, delegados e outros aprovados. Nossa ideia é também nomeá-los nos próximos meses”, contou

Reajuste em seis parcelas
De acordo com a proposta apresentada por Ibaneis, o reajuste para a categoria poderá ser pago em seis parcelas, sendo duas anuais, inicialmente, nos meses de abril e setembro, até 2021.

A ideia é conceder 10% da equiparação em 2019; 13%, em 2020; e o restante em 2021. A equipe econômica está fazendo os últimos ajustes na mensagem que deverá ser enviada ao governo de Jair Bolsonaro (PSL).

De acordo com cálculos do secretário de Fazenda, André Clemente, o impacto na folha de 2019 será de R$ 96 milhões. A proposta ainda precisa ser submetida ao governo federal e ao Congresso Nacional, por se tratar de recursos do Fundo Constitucional.

“Vamos submeter a proposta à categoria, que deve votar em uma assembleia realizada ainda nesta quarta-feira (20). Confesso que esperava algo melhor, mas a decisão está nas mãos dos policiais. O governador se comprometeu a enviar a proposta para o governo federal no dia seguinte, assim que o acordo for aceito pelos trabalhadores”, disse o presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol), Rodrigo Franco, o Gaúcho.

O GDF confirmou que só vai encaminhar a mensagem após o Sinpol apresentar a proposta para avaliação dos policiais. “Não vamos mandar sem a adesão da categoria”, garantiu Anderson Torres.

Últimas notícias