Ibaneis cancela PPP do Autódromo de Brasília e quer atrair F1

Governador anunciou a medida nesta quinta-feira após se reunir com emissários da competição, que estudam trazer o prêmio à capital

Daniel Ferreira/MetrópolesDaniel Ferreira/Metrópoles

atualizado 23/01/2020 18:05

O governador Ibaneis Rocha (MDB) afirmou ao Metrópoles, nesta quinta-feira (23/01/2020), que vai cancelar a parceria público-privada (PPP) do Autódromo Internacional Nelson Piquet. Elaborado ainda na gestão de Rodrigo Rollemberg (PSB), o edital foi alvo de críticas do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF), onde chegou a ser suspenso.

A decisão também ocorre após o titular do Palácio do Buriti se reunir com representantes da Fórmula 1 que estariam interessados em trazer o grande prêmio para o Distrito Federal. Isso seria inviável se o processo de licitação estivesse em trâmite. “O edital estava cheio de problemas”, afirmou Ibaneis.

“É claro que toda a cidade quer receber uma a Fórmula 1, mas temos ainda São Paulo e Rio de Janeiro nessa disputa. Não decidi reformar o autódromo para o evento em si, mas quero deixá-lo em condições de receber qualquer categoria de corrida e devolver o espaço para o DF”, completou.

Com a decisão, a Agência de Desenvolvimento do DF (Terracap) retomará as rédeas da administração do autódromo e terá de investir recursos próprios ou de convênios federais para a recuperação do local, que está abandonado há anos.

Nos moldes da Copa do Mundo de 2014, caso a Fórmula 1 se confirme em Brasília, o autódromo terá de se adaptar aos padrões mundiais para receber a corrida internacional.

Licitação

Desde o governo passado, a Terracap estava trabalhando para colocar na rua a licitação para entregar a gestão do estádio à iniciativa privada.

O valor estimado do contrato ficou estipulado em R$ 73.176.202,26. Do montante, R$ 38,8 milhões seriam destinados às reformas, sendo R$ 24,8 milhões oriundos da iniciativa privada. O aporte público máximo seria de R$ 14 milhões, motivo de questionamento do TCDF em abril do ano passado.

A concessão prevista entregaria o espaço por até 35 anos para a empresa ou o consórcio vencedor. Depois das reformas, o grupo empresarial passaria a lucrar com a exploração do local por meio de eventos, comércios e outras atividades.

Após recursos administrativos das empresas interessadas no Autódromo Nelson Piquet, a Terracap deu sequência ao processo licitatório com o Consórcio RNGD Consultoria de Negócios Ltda. e Rígido Engenharia Ltda.

A comissão permanente da agência julgou parcialmente procedente o recurso administrativo interposto e inabilitou a licitante Comercial Calbox Serviços, Comércio Importação e Exportação Ltda.

Habilitada para a parceria público-privada (PPP) do autódromo, a RNGD Consultoria de Negócios Ltda. já garantiu outra PPP no DF: a do Estádio Nacional Mané Garrincha.

Procurado, o grupo empresarial ainda não havia se manifestado até a última atualização da reportagem.

SOBRE OS AUTORES
Caio Barbieri

Cursou jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Passou pelas redações do Correio Braziliense, Agência Brasil, Rádio Nacional e foi editor-adjunto da Tribuna do Brasil. Ocupou a assessoria especial no Ministério da Transparência e foi secretário-adjunto de Comunicação do GDF. Chefiou o relacionamento com a imprensa na Casa Civil, Vice-Governadoria, Secretaria de Habitação e na Secretaria de Turismo do DF. Fez consultoria para vários partidos, entidades sindicais e políticos da Câmara Legislativa e do Congresso Nacional. Assina a coluna Janela Indiscreta do Metrópoles e cobre os bastidores do poder em Brasília.

Isadora Teixeira

Formada pelo Centro Universitário Iesb, atua como repórter do Metrópoles desde 2017. Na editoria de Cidades, cobre assuntos políticos relacionados ao Distrito Federal

Últimas notícias