Há nove casos de transmissão comunitária do coronavírus no DF

Esse tipo de contaminação ocorre quando as autoridades não conseguem rastrear o caminho da infecção

Pessoas usam máscaras contra o coronavírus na rodoviária do Plano PilotoHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 26/03/2020 13:15

No detalhamento feito pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal sobre a distribuição do novo coronavírus na cidade, a pasta aponta nove casos de transmissão comunitária na capital do país. O Metrópoles divulgou o estudo inédito na manhã desta quinta-feira (26/03).

Há dois tipos de transmissão: a local e a comunitária. A local ocorre quando as autoridades conseguem rastrear o caminho da infecção: o paciente é infectado por outra pessoa que testou positivo ou esteve em um país onde o vírus está em circulação.

Já na transmissão comunitária, as pessoas que não se encaixam nessas hipóteses procuram a rede de saúde e o resultado do exame dá positivo. Ou seja, não é possível rastrear o caminho da doença.

De acordo com os dados da secretaria, a região central de Brasília tem o maior número e a maior incidência de casos confirmados da Covid-19. A média é de 27,25 casos por 100 mil habitantes na capital. Até o momento, 196 moradores do Distrito Federal testaram positivo para a Covid-19.

Dos 196 casos, 35 pacientes não informaram o endereço. Portanto, os dados foram feitos com base nas informações prestadas por 161 pessoas.

Região administrativa que pertence à Área Central da cidade, o Lago Sul apresentou maior incidência da doença alcançando o índice de 112,14 por 100 mil habitantes. O Plano Piloto tem o maior número absoluto de casos: 47.

A primeira paciente detectada com o novo coronavírus no Distrito Federal é moradora do Lago Sul. Ela está internada em estado gravíssimo no Hospital Regional da Asa Norte (Hran).

Últimas notícias