GDF muda data de volta às aulas presenciais na rede. Veja quando será

O início das atividades, previsto para o dia 2/8, será para os professores organizarem o retorno da chamada semana pedagógica

atualizado 27/07/2021 7:53

Sala de aula vaziaAltemar Alcantara/Semcom

As aulas presenciais das escolas públicas só vão começar para os alunos em 5 de agosto. Antes previsto para o dia 2, o retorno foi alterado pela Secretaria de Educação. Após longo período com as instituições fechadas e somente com o ensino remoto, a pasta decidiu destinar os dias 2, 3 e 4 de agosto para encontro pedagógico dos docentes, com programação e preparação para as aulas.

Os estudantes terão aulas híbridas, alternando entre períodos presenciais e remotos. Em 7 de julho, o Governo do Distrito Federal (GDF) finalizou a redação de um documento com orientações para a retomada das  atividades presenciais híbridas na rede pública de educação.

Em 66 páginas, integrantes da Secretaria de Educação apresentam protocolos e medidas de biossegurança contra a Covid-19 para a retomada. Ao todo, a capital do país tem 686 instituições públicas, 452 mil alunos e cerca de 40 mil professores. No entanto, no documento, não havia previsão de encontro pedagógico. Agora, a mudança atenderá a uma reivindicação do Sindicato dos Professores do DF (Sinpro-DF).

O trabalho pedagógico presencial, agora a ser iniciado em 5 de agosto, será, a princípio, organizado em formato mesclado entre presencial e on-line, o chamado híbrido. A intenção é evitar aglomerações nas unidades escolares e garantir o distanciamento físico necessário dentro das salas de aula.

“Esta proposta de formato híbrido organiza-se, portanto, por meio da alternância de grupos de estudantes: em uma semana, metade dos estudantes de cada turma irá à escola presencialmente, enquanto os demais farão atividades remotas – por meio do uso de tecnologia ou material impresso e/ou concreto; e, na semana seguinte, o mesmo processo ocorrerá invertendo-se os grupos”, diz o texto apresentado.

Volta as aulas rede pública

A qualquer sintoma de gripe, mal-estar, febre e dor de cabeça, alunos e professores não devem comparecer às salas de aula. Esses podem ser sintomas de Covid-19 e, por isso, o contato deve ser evitado. O uso de máscara será obrigatório. Nesta terça-feira (27/7), a secretária de Educação, Hélvia Paranaguá, fará entrevista coletiva com jornalistas a fim de detalhar as mudanças no plano de retorno às aulas presenciais.

As escolas do DF estão fechadas desde março de 2020 devido à pandemia do novo coronavírus.

Últimas notícias