*
 

Um dia depois de anunciar que o restaurante comunitário do Sol Nascente, em Ceilândia, passaria a oferecer, ainda este mês, café da manhã e jantar a preço único de R$ 0,50, O GDF agora diz que decisão tem “caráter experimental”.

O governo local retificará o decreto que trata da inclusão de duas refeições. O novo texto deixará claro o caráter experimental do serviço por um período de 90 dias nessa unidade e que uma possível continuidade e expansão da medida para outros restaurantes do DF dependerá de um estudo de viabilidade, considerando-se a demanda e os custos.

A previsão é que publicação no Diário Oficial do Distrito Federal de quinta-feira (13/10) torne o Decreto nº 37.770, de 10 de outubro de 2016, sem efeito. Ainda no mesmo dia, o governo trabalha para que seja publicado o novo decreto, em edição extra.

Durante esse período experimental, sem prazo para início, as refeições de café da manhã e jantar custarão R$ 0,50 para todos os usuários — não somente para os inscritos no Cadastro Único (CadÚnico). A viabilidade da manutenção desse valor também será analisada.

Na primeira refeição do dia, de acordo com informações da Subsecretaria de Segurança Alimentar e Nutricional, da Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, o cardápio terá um item de panificação, leite, café e uma fruta. No jantar, haverá sopas e canjas.

Para manter o valor de R$ 0,50 durante o período de 90 dias na unidade do Sol Nascente, o governo de Brasília subsidiará em R$ 1,11 o café da manhã e em R$ 2,76 o jantar. A expectativa é que, quando for feito o teste, sejam oferecidos 1,5 mil pratos pela manhã e 2,5 mil à noite.

Regularização
Em agosto, cinco unidades foram fechadas temporariamente por fim de contrato ou rescisão a pedido da prestadora. A situação foi regularizada em quatro. Somente o Restaurante Comunitário do Itapoã segue sem atender, mas a licitação para escolha de nova empresa já foi feita. A previsão é que, até o fim deste semestre, a terceirizada assuma a operação.

Em junho, os 13 restaurantes comunitários em funcionamento passaram a oferecer tarifa de R$ 1 no almoço para os inscritos no Cadastro Único (CadÚnico) e com renda mensal familiar de até R$ 2,64 mil (equivalente a três salários mínimos) ou até R$ 440 per capita. Para os demais, o valor cobrado é R$ 2. (Com informações da Agência Brasília)

 

 

COMENTE

Ceilândiarestaurante comunitário
comunicar erro à redação

Leia mais: Distrito