Força-tarefa fecha dois bares do DF que promoveram festas clandestinas

Ambos foram multados em R$ 20 mil. DF Legal e PMDF fazem operação conjunta contra aglomerações e eventos ilegais de Carnaval

atualizado 14/02/2021 7:55

Reprodução

Um bar em Santa Maria e outro em Sobradinho foram os primeiros comércios a serem multados e interditados por fiscais da Secretaria de Proteção à Ordem Urbanística (DF Legal) encarregados de identificar eventos carnavalescos clandestinos no Distrito Federal. Desde o início da noite deste sábado (13/2), os agentes da pasta atuam em força-tarefa com policiais militares no sentido de evitar aglomerações e descumprimento das regras fixadas pelo Executivo distrital para evitar a disseminação da Covid-19.

Tanto o Elite Lounge Bar, em Santa Maria, quanto o Garden Cozinha e Bar, em Sobradinho, promoveram eventos nesta noite que desrespeitaram o distanciamento social e o uso obrigatório de máscaras por parte dos frequentadores, além de cometerem outras infrações sanitárias. No Elite, uma banda comandava a balada, e os clientes – a maioria sem proteção facial – dançavam próximos uns dos outros (foto em destaque).

Os dois estabelecimentos receberam multas de R$ 20 mil e tiveram suas instalações interditadas. Dessa forma, eles só poderão voltar a funcionar após sanarem todos os problemas verificados e terem aval do Poder Público.

Veja imagens dos locais: 

O Governo do Distrito Federal, como medida para evitar a propagação do novo coronavírus, publicou no Diário Oficial do dia 11 de fevereiro decreto formalizando a proibição de festas, eventos ou blocos carnavalescos no Distrito Federal, no período de 12 a 21 de fevereiro de 2021.

O infrator está sujeito à multa de, no mínimo, R$ 20 mil, sem prejuízo de outras sanções previstas na legislação de combate à crise sanitária causada pela Covid-19.

De bar em bar

Pouco depois da ação em Santa Maria e Sobradinho, equipes da força-tarefa no Plano Piloto interditaram o Mallí Bar, na Orla da Ponte JK. Segundo os agentes da DF Legal, o lugar descumpria o controle necessário para entrada de pessoas, não disponibilizava álcool em gel e não aferia a temperatura de quem entrava.

Cumprindo a determinação, o bar desligou a música pouco antes das 23h e começou a pedir para que os clientes fossem embora. O estabelecimento também foi multado, mas como não promovia evento ilegal, a cobrança será menor do que a dos bares com “Carnaval clandestino” – o valor da multa, porém, não foi informado.

Veja fotos da ação no Mallí: 

0

A fiscalização da força-tarefa, que conta ainda com a participação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), passou por um posto de combustível na 214 Norte, que teve aglomeração registrada na sexta à noite (12/2). Hoje, contudo, o local estava vazio.

De lá, as equipes seguiram para as quadras 312 Norte e 410 Norte. Apesar do baixo movimento, os estabelecimentos da primeira comercial não tinham, por exemplo, álcool em gel disponível, e agentes do DF Legal fizeram a orientação aos responsáveis.

Veja fotos do trabalho na comercial da 312 Norte: 

0

E os cliques na 410 Norte: 

0

A fiscalização também passou por restaurantes no Setor de Hotéis e Turismo Norte (SHTN) e na 201 Norte, locais em que a força-tarefa não constatou irregularidades.

Veja fotos da ação na 201 Norte: 

0
Ação conta com 150 PMs

De acordo com o comandante Fábio Augusto (veja vídeo abaixo), responsável pelo 1° Comando de Policiamento do DF, o monitoramento dos bares e restaurantes prioriza pontos de grande movimento.

“Temos policiais em locais sensíveis, onde já sabemos que muitas pessoas vão, são [locais] consagrados. Eles fazem o monitoramento. Se houver necessidade, vamos lá para fazer a prevenção”, explicou o comandante.

Segundo o militar, a força-tarefa age quando percebe grande aglomeração dentro dos estabelecimentos, além do desrespeito ao limite do número de pessoas nesses espaços.

“Algumas pessoas querem dançar, conversar perto umas das outras, e não são grupos pequenos. Além disso, é muito difícil ver alguém usando máscara”, lamentou o oficial. São pelo menos 150 PMs da região central do DF envolvidos na operação.

Veja imagens do início dos trabalhos: 

0

Além de ajudar a força-tarefa no combate à Covid-19, a PMDF continuará atuando em rondas para evitar crimes. “Não vamos parar para fazer apenas isso. É mais um atribuição que teremos”, destacou o comandante Fábio Augusto.

A operação também ocorre no trânsito. De acordo com o comandante André Caldas, do Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTran) da Polícia Militar, serão vários pontos de bloqueio, as conhecidas blitzes, em todo o DF.

“O nosso foco é a alcoolemia. Infelizmente, ainda há pessoas que bebem e dirigem, e precisamos coibir isso”, concluiu André Caldas.

Últimas notícias