*
 

Uma pessoa foi esfaqueada em festa que reuniu aproximadamente 1,5 mil pessoas na 408 Norte, no evento que marca o fim do semestre dos estudantes da Universidade de Brasília (UnB), na conhecida quadra boêmia frequentada por alunos da instituição de ensino. Por volta das 22h dessa quinta-feira (6/12), a Polícia Militar foi chamada para intervir no tumulto e, cerca de uma hora depois, o grupo se dispersou.

A PMDF prendeu dois suspeitos, mas não revelou a identidade dos detidos. Não foram informados o nome e o estado de saúde da vítima, que foi levada pelo Corpo de Bombeiros para o Instituto Hospital de Base (IHB) com corte na altura do ombro e ferimento na cabeça. O episódio é investigado pela 5ª Delegacia de Polícia (Área Central).

Com a confusão na quadra, alguns comerciantes se assustaram com o comportamento dos festeiros e fecharam as portas dos estabelecimentos.

Veja como estava a quadra antes da confusão:

Outros casos 
Em agosto, um crime semelhante ocorreu na mesma quadra. Na ocasião, uma briga de bar terminou com um homem esfaqueado e o agressor ferido após ser golpeado com uma garrafa de vidro na cabeça.

A confusão teria sido motivada por uma desavença antiga entre os dois, conforme informou a Polícia Militar à época. Quando a equipe da PMDF localizou o autor das facadas, na 608 Norte, ele estava a ponto de ser linchado por pessoas que presenciaram o crime.

Durante a abordagem, o homem ainda tentou esfaquear um soldado da corporação, mas foi imobilizado e desarmado com técnicas de defesa pessoal.

Já em agosto de 2017, um jovem de 19 anos foi espancado após a festa Calourada, promovida no mesmo local. O Corpo de Bombeiros transportou a vítima para o Hospital Regional da Asa Norte (Hran).

Região perigosa
O lugar onde ocorreu o esfaqueamento nessa quinta (6) fica a poucos metros do prédio em que a servidora do Ministério da Cultura Maria Vanessa Esteves, 55 anos, foi covardemente assassinada com uma facada nas costas na noite de 8 de agosto do ano passado.

À época, o Metrópoles mostrou que comerciantes estavam preocupados com a ação de bandidos na quadra. Eles agem a qualquer hora do dia, armados, ameaçam as vítimas, arrombam os cadeados das grades e entram pelo subsolo das lojas. A tática evita flagrantes de câmeras de segurança das ruas e não chama atenção da polícia e de populares.

Doze horas antes de Maria Vanessa ser morta à facada, o salão de beleza Luiz Cabeleireiro, na 407 Norte, foi alvo de criminosos. De acordo com o dono, Luiz Silva Gonzaga Filho, 49, por volta do meio-dia, dois homens entraram armados no estabelecimento. Os bandidos renderam o proprietário e duas funcionárias. A ação foi rápida.

Outro comerciante da 408 contou, em um grupo de WhatsApp, que foi alvo de uma tentativa de assalto um dia antes da morte de Maria Vanessa.