Fernandes a Ibaneis após denúncia de rachadinha: “Sigo na base”

Deputado distrital nega mais uma vez a prática e diz que continua na base governista da Câmara Legislativa

DivulgaçãoDivulgação

atualizado 19/11/2019 18:25

Menos de 24 horas após ser alvo de denúncias de rachadinha, liberação de atestados falsos, grilagem e prática de milícia, o deputado distrital e ex-administrador regional de Ceilândia Fernando Fernandes (Pros) se encontrou com o governador Ibaneis Rocha (MDB), no Palácio do Buriti.

A reunião ocorreu por volta das 12h desta terça-feira (19/11/2019). O parlamentar negou atritos com o Executivo local e reafirmou a posição de base na Câmara Legislativa (CLDF).

Segundo o deputado, as denúncias começaram a ser disparadas quando ele decidiu deixar a administração regional para votar a Lei Orçamentária Anual (LOA).

“No desespero, no calor da situação, ainda me colocaram como se eu participasse de uma rachadinha. E eu desafio. Qualquer cidadão pode questionar qualquer um dos meus servidores comissionados, tanto aqui na Câmara como na administração, se algum dia eu exigi qualquer devolução, de qualquer valor, de qualquer servidor”, afirmou.

“Vaquinhas”

“As pessoas, sim, em algum momento, faziam vaquinhas. O que é normal para pagar alguma despesa. Outras faziam caixinhas para pagar despesas cotidianas. Café, açúcar e tal”, explicou Fernandes.

“O que também é uma coisa corriqueira, que acontece desde que eu era delegado. Mas esse negócio de rachadinha nunca exigi. Eu abomino essa prática”, comentou o parlamentar, que planeja entrar na Justiça contra as acusações.

Fernandes declarou que continua na base. “Eu passei aqui para dar um abraço no governador e reafirmar nosso compromisso. Sigo na base. Não teve atrito nenhum”, assinalou. Segundo Fernandez, os eleitores cobraram a sua participação na votação da LOA.

Últimas notícias