Farmácia de Alto Custo do DF suspende delivery e pacientes se aglomeram para pegar remédios

Contrato que permitia a entrega dos medicamentos em domicílio foi finalizado em 30 de setembro

atualizado 16/10/2020 7:25

Imagem cedida ao Metrópoles

Pacientes que recebem medicamentos fornecidos pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal de forma gratuita foram surpreendidos pela suspensão da entrega dos fármacos em suas residências. Beneficiários afirmaram ao Metrópoles que a mudança ocorreu sem aviso prévio e denunciam grandes filas, com aglomerações, nas portas das farmácias de alto custo do DF devido à suspensão das entregas domiciliares.

É o caso de Maria do Socorro, 54 anos, portadora de Esclerose Múltipla. Para amenizar o avanço da doença, a psicóloga faz uso do medicamento Fingolimod.

Desde o começo da pandemia do novo coronavírus, as doses eram entregues em casa. Nessa quinta-feira (15/10), ela se surpreendeu ao ligar para a farmácia e descobrir que o produto deveria ser retirado no local.

“Era para receber essa medicação em casa, não fizeram nenhum contato comigo. Tive que ligar e veio uma mensagem dizendo que foi suspensa”, afirma a paciente.

Ao chegar à farmácia localizada na estação do Metrô da 102 Sul, novo espanto. O espaço estava lotado e com pessoas desrespeitando as normas de saúde ao portar as máscaras no queixo ou então não fazer o uso do item obrigatório de proteção facial.

“Do meu lado tem duas pessoas sem máscaras e o vigilante não inibe ou orienta na entrada. Eu falei [ao vigilante] que ele estava errado. Se o órgão tivesse comunicado, isso não estaria acontecendo. Deveria ter algum agendamento”, disse, revoltada. Maria do Socorro esperou na fila por quase cinco horas até conseguir retirar o fármaco e voltar para casa.

Veja fotos do local nesta quinta:

0
Outro lado

Procura pelo Metrópoles, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal informou que o contrato com o BRB para entrega de medicamentos de alto custo em casa teve seu prazo de vigência encerrado em 30 de setembro. No entanto, a pasta estuda a possibilidade de continuidade do serviço.

“Para que o tratamento não sofra prejuízo, a orientação da Secretaria de Saúde é que o paciente procure a unidade da farmácia de alto custo em que é cadastrado para a retirada do medicamento”, ressalta o comunicado.

Conforme a pasta, as três unidades do DF estão com atendimento ampliado desde o início da pandemia e seguem todos os protocolos de segurança contra o coronavírus. O funcionamento ocorre de segunda à sexta-feira, das 7h às 19h, de forma ininterrupta. Aos sábados, o atendimento é das 7h às 12h.

O estoque de medicamentos pode ser conferido neste link.

Últimas notícias