*
 

Após um incêndio ocorrido no sábado (30/6) destruir as casas em que moravam, duas famílias pedem ajuda à população para recomeçar. O fogo que consumiu as edificações em um mesmo lote, na QE 15 do Guará 2, teria começado em uma oficina de estofados do terreno ao lado.

Em uma das casas, onde também funcionava um salão de beleza, três pessoas ficaram desabrigadas, entre elas, uma criança de cinco anos. Somente com a roupa que lhe restou no corpo, a mãe da menina, a autônoma Leda Maria dos Santos, e única provedora da casa, ainda não sabe o que fazer diante da perda.

“Nós perdemos tudo. Aqui (no endereço), eu trabalhava e também era a minha moradia. Ficamos só com as roupas do corpo. Minha filha não tem mais nada. Agora, a gente não sabe ainda como vai ser. Preciso da ajude de vocês”, desabafou Leda.

Uma cliente do salão de beleza abrigou os pais e a filha. “Ver uma família, com uma criança, no frio do início da manhã, de pijama, descalços e em desespero, não tinha como não acolher. Esperamos que logo eles possam se reerguer”, disse Cibele.

O Corpo de Bombeiros foi acionado às 6h15. Ao todo, foram utilizados oito carros de combate à incêndio e 35 militares. Pelo menos cinco pessoas foram atendidas pelos bombeiros e por equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O marido de Leda, Gilberto Soares, 46 anos, teve uma fratura no braço direito e precisou ser transportado ao Instituto Hospital de Base (IHB).

Ainda de acordo com a corporação, as chamas chegaram a 10 metros de altura. Foram utilizados mais de 15 mil litros de água e espuma para o combate. A operação para controlar as chamas durou cerca de uma hora e meia.

Veja imagens do incêndio e o depoimento de Leda:

 

 

Ajuda
As causas do incêndio ainda não foram determinadas e as razões só devem ser conhecidas após as investigações da Polícia Civil. A Defesa Civil do Distrito Federal também interditou as duas residências e a oficina de estofados porque as edificações ficaram comprometidas e correm risco de desabar.

Camas, móveis, roupas, alimentos, geladeira, fogão e até mesmo o telhado da casa de Leda foram destruídos pelas chamas. Além deles, um casal, que morava nos fundos do lote, em outra residência, encontra-se hospitalizado. Eles precisam recomeçar a vida do zero, e necessitam de qualquer tipo de ajuda.

Os donos do lote onde funcionava a oficina de estofados não foram localizados pelo Metrópoles.

Serviço:
Quem quiser colaborar, pode entrar em contato com as famílias pelos números (61) 99904-1343 ou (61) 98374-0750.