Ex-prefeito de Planaltina de Goiás é preso por suspeita de fraude

MPDFT investiga, em conjunto com o Ministério Público de Goiás, esquema de contratação ilegal de empresas pelo governo do município

MPDFT/ReproduçãoMPDFT/Reprodução

atualizado 18/09/2019 10:44

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), em apoio à operação deflagrada pelo Ministério Público de Goiás (MPGO), cumpriu mandados de prisão e busca e apreensão na manhã desta quarta-feira (18/09/2019) na capital federal. Entre os presos está o ex-prefeito do município David Alves Teixeira Lima.

A ação investiga um grupo suspeito de contratar ilegalmente empresas para a prestação de serviços de coleta de lixo e limpeza urbana de Planaltina de Goiás. A organização criminosa, que realizava as contratações por meio de dispensa de licitação, teria atuado durante a gestão de Teixeira Lima, em 2017.

Também foram presos em Brasília o empresário e ex-chefe de gabinete do prefeito, André Luiz Teixeira Kerber; e a procuradora jurídica de Planaltina de Goiás e companheira de André, Anelise de Paula Batista.

De acordo com as investigações, o grupo contou com o envolvimento de agentes públicos e empresários na fraude de dois contratos administrativos entre a Prefeitura de Planaltina de Goiás e a empresa Rode Bem Locação de Máquinas e Equipamentos Ltda. e G.J. Construções e Serviços Ltda.

Em Planaltina de Goiás, foram cumpridos três mandados de prisão temporária e um mandado de prisão preventiva; e em Barreiras, na Bahia, os agentes cumpriram três mandados de busca e apreensão contra duas empresas e um mandado de prisão temporária.