Mãe faz campanha para conseguir comprar leite especial para o filho

Segundo Edilene, moradora do Entorno do DF, ela não tem como adquirir o alimento para a criança, que tem cardiopatia e paralisia cerebral

atualizado 22/07/2019 16:24

Reprodução/redes sociais

Miguel Carvalho de Oliveira, 4 anos, tem cardiopatia congênita e paralisia cerebral. Sua mãe, Edilene Ribeiro de Oliveira, está fazendo uma campanha nas redes sociais para conseguir comprar um leite especial que, segundo ela, é o único que impede a desnutrição da criança.

A família mora no Jardim das Oliveiras, localizado na Cidade Ocidental (GO), no Entorno do DF. Com uma filha de 7 anos e um bebê a caminho, os pais de Miguel estão atualmente desempregados e sustentam a família com o salário mínimo do auxílio-doença do menino. Sem condições de comprar o leite, Edilene pede ajuda por meio de uma vaquinha on-line.

Lá ela explica que a família já tentou adquirir o alimento por meio do governo, mas não conseguiu. A lata com o Peptamen Júnior, o leite em questão, custa cerca de R$ 200 e dura aproximadamente três dias – visto que o pequeno se alimenta a cada 3 horas. Em maio deste ano, Miguel foi internado no Hospital da Criança em Brasília, pesando apenas 7 kg aos 3 anos de idade.

De acordo com a mãe, os médicos tentaram várias dietas que não deram certo até chegar no Peptamen. Após ser internado e colocarem a sonda nasal, Edilene conta que Miguel conseguiu ganhar 3 quilos, depois de ingerir o leite especial.

0

Grávida de 8 meses, a mãe fica em casa para cuidar dos filhos. O pai, Paulo Batista de Carvalho, está desempregado desde a última vez que Miguel foi internado. A luta do menino começou no nascimento, quando foi diagnosticado com cardiopatia congênita – a estrutura ou função do coração apresenta alguma anormalidade. Com apenas 15 dias de vida, Miguel foi operado e sofreu duas paradas cardíacas. A segundo durou 30 minutos – o que gerou sua paralisia cerebral.

“Por favor, conte a história do meu filho, para assim, quem sabe, termos uma resposta de alguém. Está muito pesado. Nos ajude. Eu, como mãe, imploro”, pediu Edilene.

O link da Vaquinha pode ser acessado por aqui. Também é possível acompanhar Miguel pelo Instagram, em @ajude_omiguel.

Últimas notícias