Entidades querem horário ampliado para bares e restaurantes do DF

Em ofício encaminhado ao GDF, Sindhobar e Abrasel pedem que estabelecimentos funcionem até 22h

atualizado 24/03/2021 22:57

fachada de barRafaela Felicciano/Metrópoles

O Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar) e a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do DF (Abrasel) enviaram um ofício ao governador Ibaneis Rocha (MDB), solicitando a ampliação do horário de funcionamento de bares e restaurantes da capital após o fim do lockdown. A reabertura escalonada do comércio está prevista para a próxima semana.

“O segmento de bares e restaurantes, de longe, o mais prejudicado desde as primeiras medidas, não reúne condições de continuidade e de sobrevivência sem a imprescindível alteração do horário de encerramento das nossas atividades para as 22h, ao invés das 19h”, sustentam as entidades no documento.

O governador planeja flexibilizar, a partir do dia 29, os horários de funcionamento das atividades, com regras para cada setor. De acordo com o planejamento, bares e restaurantes estariam a receber clientes das 11h às 19h.

“Esse horário de 19h impede o movimento do turno da noite. Com isso, as empresas não poderão manter seus colaboradores em atividade. Não vai adiantar de nada abrir para aqueles estabelecimentos que ou só trabalham à noite ou que façam almoço e janta”, afirmou o presidente do Sindhobar, Jael Antônio da Silva.

“O jantar será prejudicado; o faturamento muito menor, e não terá a questão da sobrevivência. Serão obrigados a demitir gente. Já estamos com índice altíssimo de demissões no DF. O governador tem que estar sensível a essa questão” , continuou o presidente do Sindhobar.

“É de natureza emergencial e objetiva dar sobrevida às empresas e salvar empregos deste nosso importante segmento da economia do Distrito Federal”, completa o texto encaminhado ao GDF.

 

Últimas notícias