Empresa de ônibus que tombou no DF pretende retomar viagem nesta 5ª

Ônibus tombou na manhã desta quinta-feira (23/12) e deixou 25 pessoas feridas. Empresa organiza embarque para destino final

atualizado 23/12/2021 19:14

janelas quebradas de ônibusMaterial cedido ao Metrópoles

Um motorista contratado pela Prado Durães Turismo e Transporte aguarda em Taguatinga pelas bagagens que estavam no ônibus tombado na madrugada desta quinta (23/12). Ao Metrópoles, “seu” José Pereira confirmou que a intenção dos responsáveis pela companhia de viação é embarcar os passageiros ainda hoje para o destino final, em Teresina.

A empresa é a responsável pelo ônibus que, após virar, deixou 25 pessoas feridas, entre elas, uma criança de 1 ano. O acidente aconteceu na região do Café Sem Troco, próximo a São Sebastião.

De acordo com o motorista, que chegou ao local do acidente por volta das 7h, o grupo de 51 pessoas embarcadas no ônibus, que tombou na DF-130 após realizar uma curva em alta velocidade, será dividido entre aqueles que podem viajar imediatamente e quem precisa de maiores cuidados médicos.

Veja como ficou o ônibus tombado:

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
0

“Quem estiver bem eu vou levar ate Barreiras [na Bahia] e lá embarcam em outro ônibus da empresa para seguir viagem”, esclareceu Pereira.

Àqueles que precisarem ficar sob observação por conta de ferimentos será oferecido o traslado de volta a São Paulo. Depois, a companhia “dará um jeito” de completar as viagens dos passageiros. Dos clientes da Prado Durães que estavam no ônibus, houve necessidade de encaminhamento a uma unidade de saúde para 25 pessoas, entre elas um bebê de 1 ano – que está em estado grave.

Pereira relatou que, apesar da gravidade do acidente, o estado da criança, ao menos até onde ele sabe, não é dos piores. “Precisa de atenção, pelo que falaram, mas parece que está fora de risco”, explicou. Depois de pegar as malas em Taguatinga, ele passará em cada um dos três hospitais que receberam vítimas do acidente.

O acidente

Por volta das 3h30, o motorista, que, segundo o relato da passageira ouvida pelo Metrópoles, conduzia o automóvel em alta velocidade, não conseguiu segurar o ônibus na curva próxima ao Café sem Troco, no Paranoá, saiu da via e tombou na vegetação às margens da DF-130. O condutor fugiu do local.

Dos 51 passageiros embarcados, 25 ficaram feridos e foram levados ao Hospital de Base (HBDF), ao Hospital Regional do Paranoá (HRP) e ao Hospital Regional do Gama (HRG). O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) se encarregou do transporte das vítimas.

Um bebê de apenas 1 ano foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros (CBMDF) com sonolência e sangramentos pelo ouvido – sintomas de traumatismo craniano. Os dois motoristas encarregados da viagem fugiram do local e sequer prestaram socorro às vítimas.

A reportagem procurou Leonardo Prado, um dos dois sócios da Prado Durães, que respondeu ao e-mail informando que “a empresa enviou outro ônibus para o local para prestar socorro e também um representante que poderá passar melhores esclarecimentos”. O representante, porém, não retornou às ligações feitas. O espaço segue aberto.

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) disse que o ônibus, da empresa Prado Duraes Turismo e Transporte, tem autorização para fazer viagens em circuito fechado, ou seja, sem venda de passagens avulsas. “As apurações ainda estão em andamento, entretanto, considerando o trajeto citado, de Santa Catarina para o Maranhão, e pela postura dos dois motoristas, que fugiram do local, há fortes indícios de se tratar de uma viagem realizada em circuito aberto, com venda individual de passagens, o que caracteriza transporte não autorizado pela ANTT”, disse a agência em nota.

Leia a nota completa:

“A Agência se solidariza com os passageiros acidentados e lamenta profundamente o ocorrido. A ANTT está monitorando a situação.
A empresa PRADO DURAES TURISMO E TRANSPORTE LTDA, responsável pelo veículo de placas DJ84C02, que se envolveu no acidente hoje, 23/11/2021, na DF-130, possui autorização apenas para realizar fretamento, ou seja, está autorizada a realizar viagem em circuito fechado, sem venda de passagens.

As apurações ainda estão em andamento, entretanto, considerando o trajeto citado, de Santa Catarina para o Maranhão, e pela postura dos dois motoristas, que fugiram do local, há fortes indícios de se tratar de uma viagem realizada em circuito aberto, com venda individual de passagens, o que caracteriza transporte não autorizado pela ANTT.”

Mais lidas
Últimas notícias