Márcia Abrahão comemora resultado da UnB no Enade: “Trabalho de excelência”

"Isso mostra que estamos conseguindo dar uma formação de excelência", disse a reitora. UnB teve 10 cursos com nota máxima

atualizado 20/10/2020 18:23

Reitora da UNB Márcia Abrahão durante entrevistDaniel Ferreira/Metrópoles

A Universidade de Brasília conquistou mais um feito para se orgulhar nesta terça-feira (20/10). Das 21 instituições de ensino superior do Distrito Federal que participaram da edição 2019 do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), apenas a UnB e a Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS) têm cursos que tiraram a nota máxima. E mais: dos 11 cursos brasilienses que obtiveram 5 no exame, 10 são da UnB.

Em conversa com o Metrópoles, a reitora Márcia Abrahão comemorou o resultado e destacou o trabalho desenvolvido por alunos e professores da instituição.

“Primeiro, quero parabenizar nossa comunidade. [Esse é] um resultado que mostra o trabalho de excelência da nossa graduação. É uma avaliação muito positiva, que mostra o retorno do investimento, que estamos conseguindo dar uma formação de excelência”, destacou.

“Além disso, devo destacar a qualidade do corpo docente, boa parte são doutores. É um retorno que a universidade dá para a sociedade, que vai contribuir com o desenvolvimento do país e das pessoas”, completou Márcia Abrahão.

Notas

Os cursos da universidade que gabaritaram o teste foram os de arquitetura e urbanismo, tanto as turmas do turno integral quanto as do noturno; enfermagem; engenharias ambiental, civil, de produção e mecânica; além de farmácia, nutrição e odontologia. Pela ESCS, enfermagem também obteve o conceito máximo.

Divulgadas na manhã desta terça-feira, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), as notas reforçam a posição da UnB como uma das melhores instituições do país.

Confira os resultados:

Explicando o Enade

O Enade é um dos exames que compõem o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), instituído em 2014. O objetivo do teste é aferir o desempenho dos estudantes em relação a conhecimentos, competências e habilidades desenvolvidas ao longo do curso de graduação.

Seu ciclo avaliativo tem três anos, com a divisão dos cursos de acordo com sua área e modalidade (bacharelado, licenciatura e de tecnologia). Ao todo, entre bacharelado e licenciatura, são 23 áreas de conhecimento avaliadas, além de seis de cursos superiores de tecnologia, totalizando 29 de ensino superior.

Com 40 questões, o Enade é composto por duas partes: formação geral e componente específico. O componente específico, com 30 questões, equivale a 75% da nota do exame, que varia de 0 a 5. Dessa forma, a nota atribuída às instituições de ensino superior é a soma das médias ponderadas obtidas por seus alunos tanto nos componentes específicos quanto na formação geral.

Em 2019, o Enade aferiu conhecimentos de alunos que concluíam o bacharelado em engenharia; arquitetura e urbanismo; ciências agrárias; ciências da saúde e áreas afins, além de cursos superiores de tecnologia e das áreas de ambiente e saúde; produção alimentícia; recursos naturais; militar e segurança. Essas graduações voltarão a ser avaliadas em 2022.

Inscreveram-se no exame 435.469 estudantes. Desses, 391.863 realizaram as provas. Do total de alunos submetidos aos testes, 76% são de instituições privadas de ensino e 95% oriundos de cursos presenciais.

Ainda segundo as estatísticas divulgadas, o Enade avaliou 1.225 instituições (85% privadas) e 8.368 cursos (76% de universidades privadas).

No ano passado, 15 das 17 graduações avaliadas ficaram com nota 5. Outras duas tiveram nota 4. Serviço social (diurno e noturno); turismo; ciências econômicas; relações internacionais, administração, direito (diurno e noturno), ciências contáveis (diurno e noturno); psicologia; desing – projeto do produto; desing programação visual; publicidade e propaganda e jornalismo foram as graduações com nota máxima no último Enade.

Últimas notícias