Gás de cozinha fica mais caro. Preço começa a subir nesta terça

Aumento de 4% vale desde segunda. Revendedoras consultadas pelo Metrópoles, porém, ainda não repassaram alteração: máximo de R$ 98,8

Daniel Ferreira/MetrópolesDaniel Ferreira/Metrópoles

atualizado 26/11/2019 8:43

O reajuste no preço do gás de cozinha começou a valer oficialmente nesta semana em todas as revendedoras do Distrito Federal. O aumento de 4% foi anunciado pela Petrobras na última sexta-feira (22/11/2019). No entanto o consumidor ainda encontra o botijão com preços antigos, mas que devem começar a subir para o brasiliense a partir desta terça (26/11/2019).

Segundo o presidente do Sindicato das Empresas Transportadoras e Revendedoras de Gás Liquefeito de Petróleo do Distrito Federal (Sindvargas-DF), Sergio Costa, a expectativa é que até quarta-feira (27/11/2019) todas as revendas revejam o valor.

“Hoje já tem revenda que está recebendo [o GLP] com o índice do reajuste, mas ainda não podemos avaliar o impacto”, explica. Para Costa, é improvável que as revendas não repassem esse aumento ao consumidor. “No dia 22 de outubro teve outro reajuste [de 5,3%], que não foi repassado integralmente. Não tem como absorver mais esse aumento”, afirma.

De acordo com levantamento da Agência Nacional de Petróleo (ANP), no DF, o Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) teve o preço médio de R$ 73,45, no período entre os dias 10 e 16 de novembro. Com o reajuste de 4%, o valor chega a R$ 76,38. No entanto, há variação de preço entre as revendedoras da capital, como aponta o levantamento da ANP.

O preço mínimo, de R$ 60, subiria para R$ 62,4. Já para o preço máximo encontrado pela agência, o valor do GLP passaria de R$ 95 para R$ 98,8.

Preço antigo

As revendedoras consultadas pelo Metrópoles ainda não repassaram o acréscimo para os consumidores, mas há previsão de que o valor mude nos próximos dias.

Na JC Gás, na Asa Norte, o preço para o botijão é R$ 95, ainda sem previsão de reajuste. O mesmo vale para a Supergásbras de Taguatinga, que vende o gás de cozinha a R$ 75.

Natural Gás DF e Baixinho do Gás, ambas no Gama, vão manter o preço de R$ 72. A Expresso Gás, em Sobradinho II, segue vendendo o gás de cozinha a R$ 75. Apesar de já ter recebido o reajuste, a revendedora não tem expectativa para o repasse aos clientes.

Já em São Sebastião, na Oficial Gás, o consumidor que quiser comprar o gás antes do aumento deve correr. Nesta terça-feira, o preço da revendedora passa de R$ 70 para até R$ 78.

O aumento está previsto na Supergás, do Paranoá, onde o botijão é comercializado a R$ 75. A partir de quarta-feira, o preço muda, mas ainda não há previsão de quanto será o reajuste.

A Gás Família, em Vicente Pires, também já se prepara para repassar o aumento para o consumidor do DF. Até essa terça-feira, o GLP ainda é vendido a R$ 75 na região.

Últimas notícias