No Dia Mundial do Consumidor, celebrado nesta sexta-feira (15/3), o Instituto de Defesa do Consumidor do Distrito Federal (Procon-DF) divulgou a lista de reclamações fundamentadas de 2018. A publicação no Diário Oficial (DODF) aponta que os serviços de telefonia, o varejo e os bancos lideram o ranking dos setores mais contestados por clientes da capital do país.

Uma reclamação fundamentada é quando o Procon considera procedente uma notícia de lesão ou de ameaça a direito do consumidor. Das 1.095 ocorrências registradas dessa forma no órgão, a líder de queixas de clientes, segundo o Procon-DF, é o combo das empresas Claro S.A., de telefonia celular,  e Net, de televisão por assinatura, responsáveis por 68 atendimentos no instituto.

As empresas de telecomunicações Oi e Tim Celular S.A. aparecem logo atrás, respectivamente com 60 e 34 do total de contestações.

Veja o ranking:

Reprodução/Procon-DF

Segundo o Procon, órgão vinculado à Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), boa parte das empresas que aparecem no topo das reclamações são reincidentes e enfrentam problemas que poderiam ser resolvidos diretamente com o consumidor, sem o intermédio do instituto.

Cobranças indevidas, qualidade do serviço oferecido e o pós-venda são os principais motivos dos conflitos de consumo na capital federal.

Também foi divulgada a “lista de resolutividade” das empresas que, após reclamação no Procon, tiveram processos administrativos abertos pelo órgão e, mesmo assim, não atenderam o consumidor.

A líder é a Companhia Brasileira de Distribuição, com 0% de resolutividade. A empresa é controlada pelo grupo francês Casino, dono de várias marcas no Brasil, como Extra, Casas Bahia e Assaí.

Logo atrás da Companhia Brasileira de Distribuição, vêm Claro e Net (12%), Vivo, GVT (18%), Tim Celular (23%), Sky (30%) e Ponto Frio e loja física das Casas Bahia (33%).

Veja a lista:

Reprodução/Procon-DF