DF tem 48h para informar sobre equipamentos de proteção da saúde

MPDFT conta com informações de que os materiais estariam sendo racionados para médicos. Secretaria de Saúde terá que explicar

atualizado 26/03/2020 17:24

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal tem 48 horas para informar ao Ministério Público do Distrito Federal e dos Territórios (MPDFT) sobre a disponibilidade de equipamentos de proteção individual (EPI) destinados a profissionais da saúde pública.

A determinação é da força-tarefa do Ministério Público, coordenada pela Procuradoria Distrital dos Direitos do Cidadão (PDDC), a fim de conter o novo coronavírus na capital.

Pedido similar havia sido feito na semana passada, em 19 de março. Para essa nova demanda, o prazo começa a contar nesta quinta-feira (26/03).

A demanda surgiu porque o MPDFT teve conhecimento de que os EPIs se concentrariam na Central de Distribuição da SES e de que a disponibilidade do material estaria sendo padronizada e racionada entre as diversas unidades do sistema público de saúde.

Para explicar a situação, a pasta do Governo do Distrito Federal (GDF) deve enviar planilha com todo o planejamento e logística da dispensação semanal. O documento precisa conter: unidade de saúde, itens, quantidade e dia da semana.

Deve ser respondido ainda qual é a previsão atual de distribuição de EPIs para cada unidade do sistema público de saúde; quais foram os critérios utilizados para se chegar a esses números; e se foi considerado apenas a tipologia ou também o quantitativo de profissionais de saúde em cada unidade.

Por fim, é cobrada qual a periodicidade da distribuição desses EPIs; se serão todos distribuídos no mesmo dia da semana ou se cada unidade receberá os insumos em dias distintos; e se a entrega ocorrerá por região de saúde ou diretamente em cada unidade.

A reportagem do Metrópoles entrou em contato com a Secretaria de Saúde do DF, mas não havia recebido resposta até a última atualização desta matéria. O espaço continua aberto.

Últimas notícias