DF tem 2 casos prováveis de coronavírus em investigação

Vigilância Epidemiológica confirmou que apura, na rede privada, a situação de pacientes com sintomas da doença. O do Hran foi descartado

atualizado 26/02/2020 17:26

O Distrito Federal está em estado de alerta em relação ao coronavírus. Nos últimos dias, foram pelo menos quatro casos prováveis, sendo que um, o do Hospital Regional da Asa Norte (Hran), foi descartado. Dois pacientes foram internados no Hospital Home, na Asa Sul, e o terceiro no Santa Lúcia, na Asa Norte.

Conforme apurado pelo Metrópoles, no último caso registrado, o homem teria voltado com os sintomas da doença após uma viagem à Austrália. Ele deve ser transferido ainda nesta quarta-feira (26/02/2020) para o Hran – unidade de referência para o tratamento do coronavírus no DF.

Por volta das 13h, a direção do Home informou que uma idosa teve alta após exames descartarem a suspeita. Ela teria passado pela Itália, onde há, até agora, 11 mortes confirmadas pela doença. Uma criança ainda continua internada.

O Home adotou, como protocolo, que todos os pacientes que dão entrada no pronto-socorro apresentando quadro gripal devem passar por exames que atestem ou afastem a possibilidade de contaminação por coronavírus.

No Hran, a suspeita recaiu sobre um paciente que deu entrada na unidade especializada em tratamento de queimados na madrugada desta quarta-feira (26/02/2020). Ele chegou a ser isolado no sétimo andar, mas exames descartaram a doença.

“Há três casos prováveis em investigação. Ainda não são suspeitos. Coletamos material e estamos aguardando o diagnóstico”, ressaltou o diretor de Vigilância Epidemiológica, Divino Martins. Todos eles na rede privada, na manhã desta quarta.

Os casos são classificados como suspeitos quando o paciente apresenta sintomas como dificuldade respiratória e febre. Além disso, a pessoa precisa ter passado por países de incidência de coronavírus nos últimos 14 dias, antes de a doença se manifestar.

Segundo Martins, cinco casos prováveis no DF foram descartados desde o começo do ano.

De acordo com o diretor do Hran, Leonardo Ramos, o paciente do caso recentemente descartado está bem e deve receber alta nas próximas horas. “Quando recebemos uma pessoa com sinais da doença e que tenha feito viagem para o exterior, isolamos em um andar no hospital. Acionamos a Vigilância e o caso foi descartado”, destacou.

A Rede Santa Lúcia informou que não vai comentar o caso. Isso porque, como se trata de questão epidemiológica, apenas a Secretaria de Saúde pode se manifestar.

Em São Paulo

O Brasil teve o primeiro caso de coronavírus confirmado nesta quarta-feira (26/02/2020). A suspeita foi atestada após contraprova realizada pelo Instituto Adolfo Lutz, vinculado à Secretaria do Estado de Saúde de São Paulo.

O primeiro teste, divulgado no início da noite dessa terça-feira (25/02/2020) pelo Ministério da Saúde, deu positivo para o paciente. O Hospital Albert Einstein registrou a notificação do caso suspeito nessa terça-feira. Trata-se de um homem de 61 anos que viajou para o norte da Itália entre 9 e 21 de fevereiro. O paciente tem sinais brandos da doença, como febre, tosse seca, dor de garganta e coriza.

A unidade de saúde informou que o homem está em “bom estado clínico”, mas permanecerá em isolamento respiratório durante os próximos 14 dias. O hospital, um dos mais tradicionais no setor de saúde na capital paulista, informou que esse isolamento será cumprido no domicílio do paciente.

Últimas notícias