Testemunha de explosão na 406 Sul: “Parecia que prédio estava caindo”

A princípio, foi informado que o acidente havia ocorrido em loja de um futuro restaurante, mas a informação foi corrigida pelo proprietário

atualizado 28/04/2019 6:53

Rafaela Felicciano/Metrópoles

Uma explosão em uma loja que passa por reforma deixou um homem com queimaduras de primeiro e segundo graus no corpo. O acidente ocorreu na 406 Sul no começo da tarde de sábado (27/04/2019). O Corpo de Bombeiros chegou a fechar a quadra, mas por volta das 14h30 tudo voltou ao normal.

Segundo informações preliminares, o acidente teria ocorrido em um restaurante em obras. Mas o proprietário do estabelecimento chegou ao local e disse que a loja Coisa e Tal venderá roupas. A princípio, segundo o Corpo de Bombeiros, não há risco à estrutura da construção afetada.

A explosão teria ocorrido no momento que uma enceradeira para limpeza do piso foi ligada. Os Bombeiros informaram que uma faísca causou a combustão de gases formados a partir do material inflamável que estava no ambiente.

Os socorristas da corporação levaram a vítima, identificada como Belchior de Barcelos, 42 anos, ao Hospital Regional da Asa Norte (Hran). O homem estava com aproximadamente 28% do corpo queimado, especialmente nos braços, tórax e rosto. No momento, havia ele e mais outro funcionário trabalhando na reforma.

 

0

A quadra ficou interditada para tráfego de veículos enquanto a corporação trabalhava no local. Por volta das 14h30, o trânsito foi liberado. As lojas do lado também puderam voltar ao funcionamento normal.

O acúmulo de gases provocado por produtos inflamáveis estocados, como tinner e agarrás, teria provocado o acidente no momento em que o equipamento foi ligado.

Gerente do bar e restaurante Fausto & Manoel, Ronaldo dos Santos Moura escutou a explosão pouco antes do meio-dia. “Foi muito forte. Pensei que fosse a colisão de dois carros”, disse.

Quando saiu para ver o que tinha ocorrido, viu que se tratava de uma explosão na loja, que fica a poucos metros do restaurante. Ronaldo chamou o Corpo de Bombeiros. “Eles chegaram muito rápido”, afirmou.

Por precaução, o restaurante Fausto & Manoel precisou desligar o gás durante 30 minutos para que não houvesse risco de nova explosão. Mas a situação foi normalizada e o estabelecimento funcionou normalmente na tarde deste sábado.

Alexandre Batista, 44 anos, trabalha na farmácia ao lado da loja que explodiu. “Estava com um cliente e ouvi um barulho. Foi um estrondo muito grande, parecia que o prédio estava caindo”, garantiu. Logo  que saiu, viu a vítima queimada do lado de fora.

“O rapaz estava com braços e parte do pescoço queimados, meio sonolento e pedia muita água”, acrescentou Alexandre. Ele disse que os bombeiros chegaram em 10 minutos. “Liguei para eles parabenizando pelo serviço. Fizeram um ótimo trabalho”, ressaltou.

 

Últimas notícias