metropoles.com

DF: empresário arquitetou explosão com bomba em caminhão de querosene

A bomba foi colocada em um caminhão-tanque que entraria no aeroporto de Brasília. Artefato seria explodido por meio de um dispositivo remoto

atualizado

Compartilhar notícia

Imagem cedida ao Metrópoles
bomba
1 de 1 bomba - Foto: Imagem cedida ao Metrópoles

O empresário bolsonarista George Washignton de Oliveira Sousa, 54 anos, planejava explodir um caminhão-tanque carregado com querosene próximo ao Aeroporto Internacional de Brasília.

Ele foi preso com arsenal composto por armas e explosivos e será indiciado por porte e posse ilegais de armas e munições, além de crime contra o Estado Democrático de Direito. As informações são do delegado-geral da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), Robson Cândido.

O artefato foi colocado em um caminhão-tanque que entraria no terminal aeroviário. Se explodido, teria provocado uma tragédia, segundo Robson Cândido.

O motorista do veículo percebeu o objeto estranho e acionou a Polícia Militar, que atuou na área.

O artefato seria explodido por meio de um dispositivo remoto. Segundo informações da PCDF, o explosivo chegou a ser acionado, mas não funcionou.

A perícia da PCDF identificou que a bomba não explodiu devido a uma falha, “um microdetalhe técnico no detonador”. “Graças a Deus, conseguimos interceptar. Seria uma tragédia jamais vista”, completou.

Equipes da Polícia Militar (PMDF) e do Corpo de Bombeiros (CBMDF), com apoio da Polícia Federal (PF) e da Polícia Civil (PCDF), se mobilizaram em área próxima ao Aeroporto de Brasília e neutralizaram a bomba.

Segundo apurado pelo Metrópoles, o homem tem registro de caçador, atirador e colecionador (CAC), é paraquedista e apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PL). Veio para a capital para participar dos atos em frente ao Quartel General do Exército e estava hospedado em um apartamento alugado no Sudoeste.

Veja imagens do empresário e do arsenal apreendido pela PCDF:

23 imagens
Parte do arsenal apreendido pela PCDF
Ele teria trazido a maioria do material do Pará, em uma caminhonete
O arsenal foi encontrado em um apartamento alugado do Sudoeste, área nobre do DF
Bolsonarista foi detido na noite de sábado (24/12) pela PCDF
O empresário confessou ser o dono da emulsão explosiva (espécie de bomba usada em garimpo) colocada próximo ao Aeroporto Internacional de Brasília
1 de 23

O empresário tem registro de CAC, mas as armas, as munições e os explosivos são ilegais

Imagem cedida ao Metrópoles
2 de 23

Parte do arsenal apreendido pela PCDF

Imagem cedida ao Metrópoles
3 de 23

Ele teria trazido a maioria do material do Pará, em uma caminhonete

Imagem cedida ao Metrópoles
4 de 23

O arsenal foi encontrado em um apartamento alugado do Sudoeste, área nobre do DF

Imagem cedida ao Metrópoles
5 de 23

Bolsonarista foi detido na noite de sábado (24/12) pela PCDF

Imagem cedida ao Metrópoles
6 de 23

O empresário confessou ser o dono da emulsão explosiva (espécie de bomba usada em garimpo) colocada próximo ao Aeroporto Internacional de Brasília

Imagem cedida ao Metrópoles
7 de 23

Munição encontrada com ele

Imagem cedida ao Metrópoles
8 de 23

Ele teria trazido a maioria do material do Pará, em uma caminhonete

Imagem cedida ao Metrópoles
9 de 23

Munição encontrada com ele

Imagem cedida ao Metrópoles
10 de 23

A ocorrência é investigada pela 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul)

Imagem cedida ao Metrópoles
11 de 23

O artefato foi colocado em um caminhão-tanque que entraria no aeroporto

Imagem cedida ao Metrópoles
12 de 23

Munição encontrada com ele

Imagem cedida ao Metrópoles
13 de 23

O delegado-geral da PCDF disse que a corporação investiga outros envolvidos no planejamento de atentados

Imagem cedida ao Metrópoles
14 de 23

O artefato foi colocado em um caminhão-tanque que entraria no aeroporto. Se explodido, teria provocado uma tragédia, segundo Robson Cândido

Imagem cedida ao Metrópoles
15 de 23

Empresário bolsonarista que planejava um atentado em Brasília com arsenal composto por armas e explosivos

Imagem cedida ao Metrópoles
16 de 23

Malas localizadas no carro do empresário

Imagem cedida ao Metrópoles
17 de 23

George Washington, 54 anos

Imagem cedida ao Metrópoles
18 de 23

Explosivos encontrados com ele pela PCDF

Imagem cedida ao Metrópoles
19 de 23

Com ele foram apreendidos seis explosivos

Imagem cedida ao Metrópoles
20 de 23

George Washington tem registro de caçador, atirador e colecionador (CAC), é paraquedista e apoiador radical do presidente Jair Bolsonaro (PL)

Imagem cedida ao Metrópoles
21 de 23

Material encontrado com o bolsonarista

Imagem cedida ao Metrópoles
22 de 23

O empresário estava hospedado em um apartamento alugado no Sudoeste

Imagem cedida ao Metrópoles
23 de 23

O homem confessou que estava planejando um atentado para o dia da posse do presidente eleito Lula (PT)

Imagem cedida ao Metrópoles
homem suspeito de planejar atentado terrorista em Brasilia
George Washington Oliveira Sousa é acusado de planejar um atentado terrorista em Brasília na posse de Lula

“Tão logo a Polícia Civil tomou conhecimento, a área de inteligência, juntamente com os policiais da DP, iniciaram as investigações e, com as informações que foram surgindo, conseguiram efetuar a prisão do indivíduo. Ele confessou os crimes e disse que fez o artefato”, afirmou Robson Cândido.

George Washington foi detido na noite de sábado (24/12) pela PCDF, horas após a Polícia Militar recolher explosivo nas proximidades do Aeroporto Internacional de Brasília.

A ocorrência é investigada pela 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul). O homem confessou que estava planejando um atentado para o dia da posse do presidente eleito Lula. Com ele, foram apreendidos seis explosivos.

Veja, na íntegra, a entrevista do delegado-geral da PCDF:

3 imagens
Uniformes camuflados apreendidos com empresário bolsonarista que planejava atentado
Arsenal também foi achado pela PCDF
1 de 3

Delegado-geral da PCDF, Robson Cândido

Isadora Teixeira/Metrópoles
2 de 3

Uniformes camuflados apreendidos com empresário bolsonarista que planejava atentado

Isadora Teixeira/Metrópoles
3 de 3

Arsenal também foi achado pela PCDF

Isadora Teixeira/Metrópoles

O arsenal foi encontrado em um apartamento alugado do Sudoeste, área nobre do DF. Ele teria trazido a maioria do material do Pará, em uma caminhonete. As investigações apontam que as emulsões foram enviadas posteriormente.

Bolsonarista preso com arsenal queria caos, diz delegado-geral da PCDF

O empresário confessou ser o dono da emulsão explosiva (espécie de bomba usada em garimpo) colocada próximo ao Aeroporto Internacional de Brasília.

A perícia da PCDF identificou que houve tentativa de explodir o artefato, mas sem sucesso. “Graças a Deus, conseguimos interceptar. Não conseguiram explodir, mas a perícia nos relata que eles tentaram acionar o equipamento”, acrescentou o delegado-geral.

“Ele é morador do Pará e veio para participar das manifestações no QG. Ele faz parte desse movimento de apoio ao atual presidente. Eles estão imbuídos nessa missão, segundo eles, mas saiu de controle”, disse Robson Cândido.

O delegado-geral da PCDF disse que a corporação investiga outros envolvidos no planejamento de atentados.

“As autoridades policiais, principalmente aqui de Brasília, vão tomar todas as providências e prender qualquer um que atente contra o Estado Democrático de Direito, com ameaças e, agora, com bombas. Isso é algo que nunca existiu em Brasília e não iremos permitir esse tipo de manifestação que possa causar mal às pessoas ou ao patrimônio”, disse Robson.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comDistrito Federal

Você quer ficar por dentro das notícias do Distrito Federal e receber notificações em tempo real?