DF: em meio à epidemia de dengue, diretor de Vigilância pede demissão

Apenas nos cinco primeiros meses de 2019, já foram notificados 17,3 mil casos prováveis de dengue nas regiões administrativas

Felipe Menezes/MetrópolesFelipe Menezes/Metrópoles

atualizado 24/05/2019 13:06

Em meio a uma epidemia de dengue, com 16 mortes confirmadas em 2019 no Distrito Federal, o diretor de Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde, Petrônio da Silva Lopes, pediu para deixar o cargo. A própria pasta confirmou que a solicitação foi feita por meio de uma carta interna. No texto, ele alega “motivos de caráter pessoal”.

Na terça-feira (21/05/2019), a Saúde divulgou um boletim epidemiológico referente a 11 de maio, com o registro de 19.812 notificações de dengue em Brasília, sendo 17.304 casos classificados como prováveis. O número representa um aumento considerável em relação aos últimos dois anos. Em 2018, houve apenas um óbito e 2,1 mil casos prováveis. Em 2017, foram 12 falecimentos.

A publicação, no entanto, surgiu com duas semanas de atraso, pois, conforme a pasta, teria havido um problema com o servidor de informática. Assim, os dados referentes às ultimas semanas de abril não foram revelados e as estatísticas pioraram, caracterizando a epidemia.

Na semana anterior, a circulação de carros da secretaria que espalhavam inseticidas pela cidade — os chamados fumacês — foi interrompida após o Ministério Público do Trabalho (MPT) ter interditado o galpão onde a mistura do produto era feita. A pasta alegou que o local agora passa por reformas e não deu prazo para retomar o serviço.

Últimas notícias