DF deixa de exigir uso de máscaras ao ar livre a partir desta 4ª

A utilização do item de proteção contra a Covid, no entanto, continua sendo obrigatória em locais fechados e no transporte público

atualizado 03/11/2021 8:12

Pessoas andando de bicicleta em parqueRafaela Felicciano/Metrópoles

A partir desta terça-feira (3/11), a população do Distrito Federal não será mais obrigada a usar máscaras de proteção facial ao ar livre. A regra vale para pontos abertos, como parques, bosques, calçadas e clubes. A utilização do item de proteção contra a Covid, no entanto, continua sendo obrigatória em locais fechados e no transporte público.

Na semana passada, já impulsionado pelo arrefecimento da pandemia, o governador Ibaneis Rocha (MDB) também autorizou os estabelecimentos comerciais a funcionarem de acordo com o horário previsto no alvará, e não mais conforme decreto. O texto beneficia restaurantes, bares, academias e shoppings da capital federal.

No mesmo documento, consta a redução da necessidade de distanciamento entre as mesas em restaurantes, bares e centros gastronômicos. A atualização permite o espaço de 1 metro entre elas (até então, eram 2 metros).

As aulas coletivas em academias, como dança e esportes, também foram liberadas, assim como o compartilhamento de equipamentos de musculação.

Aulas 100% presenciais

Após um ano e sete meses, as aulas na rede pública do Distrito Federal voltam a ser 100% presencias a partir desta quarta-feira. Apesar da determinação do GDF, os 460 mil estudantes ainda não sabem se, de fato, vão conseguir cumprir a grade diária.

Isso porque o Sindicato dos Professores no Distrito Federal orientou os docentes a não retornarem às unidades de ensino. O GDF subiu o tom e avisou que quem não comparecer terá o ponto cortado.

Controle da pandemia

Para o infectologista e especialista em gestão de saúde Hemerson Luz, as medidas anunciadas recentemente acompanham o ritmo da doença na capital do país. “Estamos com taxa de transmissão baixa, o que denota controle da pandemia. A média móvel de mortes vem diminuindo, a ocupação das UTIs está fora do ponto crítico faz tempo. Isso dá abertura para essa flexibilização”, opinou.

Segundo o médico, no entanto, a dispensa no uso de máscaras não pode ser indiscriminada. “Tem de ter protocolo. O lugar aberto é definido como espaço seguro, mas ainda existe possibilidade de contaminação, então, poucas pessoas devem permanecer juntas e, preferencialmente, do mesmo núcleo familiar”, explicou Hemerson.

No entendimento do infectologista, a melhora nos indicadores é resultado do ritmo acelerado da vacinação no DF.

Mais lidas
Últimas notícias