Um criminoso foi baleado durante assalto ocorrido no Conjunto 2 da QL 4 do Lago Sul na tarde desta segunda-feira (23/7). O desembargador aposentado do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) Pedro Aurélio Rosa de Farias, 72 anos, reagiu ao roubo e baleou um dos suspeitos, que o rendeu por volta das 14h. A vítima também ficou ferida e já foi encaminhada ao hospital.

“Estava chegando de um almoço quando fui surpreendido pelos três assaltantes. Primeiro, um deles desceu armado, os outros dois ficaram no carro e desceram depois”, contou o desembargador. De acordo com Pedro Aurélio, os bandidos saíram do automóvel gritando e perguntando onde estava o cofre.

Pedro Aurélio foi levado para dentro da casa. “Eles me prenderam no banheiro, junto com a secretária. Roubaram relógios e correntes”, afirmou. Quando o desembargador aposentado viu que os bandidos estavam fugindo, subiu até o quarto, pegou uma arma e disparou seis vezes. Um dos assaltantes foi atingido, mas acabou escapando.

O desembargador também teve o nariz quebrado, após ser agredido dentro de casa. Pedro Aurélio levou um tiro de raspão no braço na troca de tiros com os suspeitos. “Se eu não tivesse arma em casa, não sei o que faria. Estavam muito violentos”, disse o magistrado aposentado.

A esposa do desembargador estava em casa e foi feita refém. “Entraram, [então] me pegaram e me bateram. Puxaram meu relógio e perguntavam sobre joias e dinheiro. Ameaçavam me matar a todo momento. Apanhei muito de coronhada”, disse Graça Farias, 67 anos. Segundo a mulher do magistrado, os assaltantes estavam bem-vestidos. Eles portavam revólveres calibre .38.

 

Os assaltantes tentaram levar um Corsa da família carregado com os objetos roubados, incluindo o cofre, mas, após a reação do desembargador, desistiram. Segundo a PM, o bandido ferido roubou um Mercedes Benz C 170 de placa JHC 3811-DF, pertencente a cliente de um escritório de advocacia que fica ao lado. Ele chegava ao local quando foi rendido, após o assalto na residência do desembargador aposentado.

O veículo foi achado na 211 Sul. Estava fechado, sem as chaves, e com mancha de sangue. A PM levou o automóvel para a 10ª Delegacia de Polícia (Lago Sul). Os outros dois bandidos escaparam em um Prisma branco. Até o momento, ninguém foi preso.

A cozinheira Olinda Cristina Maciel, 29 anos, que trabalha na casa em frente, disse ter ouvido os tiros. “Liguei para os meus patrões, que me pediram para ficar escondida e avisar a polícia. Foram momentos de terror. Aqui está terrível”, disse.