Desabastecimento: postos do DF reforçam estoque com 500 mil litros

De acordo com o presidente do Sindcombustíveis, Paulo Tavares, o problema de repasse de combustível será sanado até a próxima segunda

André Borges/Esp. Metrópoles

atualizado 21/09/2019 17:05

O Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e de Lubrificantes do Distrito Federal (Sindicombustíveis) informou que as redes credenciadas dos postos Ipiranga e BR, em Brasília, compraram 500 mil litros de combustível de Goiânia, neste sábado (21/09/2019). O objetivo é evitar o desabastecimento, que seria causado por um problema no bombeamento do duto responsável por abastecer os pontos de venda da capital federal.

Segundo o presidente do Sindcombustíveis, Paulo Tavares, alguns postos bandeirados receberam uma quantidade inferior a normal e solicitaram o reforço em mercados próximos à região, para que não falte gasolina ao consumidor. “De toda maneira, no fim de semana a demanda cai, assim, não há possibilidade de grandes transtornos aos brasilienses”, explica.

Na última sexta-feira (20/09/2019), a Petrobras negou ao Metrópoles qualquer tipo de problema no equipamento que faz o transporte do combustível para a capital. “A Petrobras informa que o duto OSBRA, responsável pelo abastecimento de combustíveis em Brasília e Goiânia está operando normalmente. Não há problemas na distribuição e o abastecimento ao mercado está garantido. A companhia reitera que seu compromisso é com a venda e entrega de combustíveis às distribuidoras, e que estas são as responsáveis pela entrega dos produtos aos postos”, diz a nota.

Paulo Tavares afirma que o posicionamento da Petrobras é uma manobra comum, com a finalidade de não gerar desespero na população.De acordo com Tavares, a previsão é de que o problema de repasse do produto ao DF seja sanado até a próxima segunda-feira (23/09/2019).

Alerta

De acordo com Tavares, todos os postos do DF estão “em adequação”. O problema deve afetar os estabelecimentos de bandeira branca — aqueles que não pertencem a grandes marcas. “O que significa que corre o risco, sim, de alguns ficarem sem produto. Isso pode elevar os preços ainda mais do que o aumento da refinaria ocorrido ontem (quinta-feira).”

A princípio, as distribuidoras deram informações conflitantes para o problema. “Há versões de vazamento de duto por uma grande distribuidora e de que, em outra grande distribuidora, essa falta de produto se deve à demanda (dos postos), que passou a ser maior que a oferta devido ao aumento da R$ 0,06 na gasolina, feito ontem (quinta) e repassado aos revendedores, somado aos fatos ocorridos na Arábia (Saudita, o que, supostamente, resultou em falta de petróleo no mercado internacional)”, destacou o sindicato, em nota.

Por volta das 10h, segundo Paulo Tavares, foi confirmado o problema no bombeamento do duto que abastece Brasília e Goiânia. “Cada distribuidora tem seu plano individual para responder à falha. A previsão de retorno à normalidade é até segunda-feira (23/09/2019). Durante este período, estaremos em adequação de produtos na venda”, acrescentou.

Distribuidoras

A Plural (Associação Nacional das Distribuidoras de Combustíveis, Lubrificantes, Logística e Conveniência) confirmou que recebeu a informação de um aumento de demanda de 15%, “o que fez com as distribuidoras buscassem reposição em mercados próximos à região”. Em nota, a associação esclarece que o preço dos combustíveis é livre e quem define o preço na bomba para o consumidor final são os postos revendedores. “Entretanto, é importante destacar que o preço final do combustível vendido no Brasil envolve muitos outros fatores, além do valor de venda determinado pelas refinarias”, afirma.

A distribuidora Ipiranga também enviou resposta para a reportagem do Metrópoles em que, inclusive, fala do problema no duto. “A Ipiranga informa que houve uma intercorrência em um dos dutos da região, operado por terceiros. A empresa acompanha a situação e está tomando as providências necessárias de logística em sua operação. A Ipiranga reforça que está prestando todas as informações necessárias a seus clientes”.

Últimas notícias