Deputados e senadores do DF lamentam a morte do médico Jofran Frejat

O ex-secretário de Saúde do DF nas gestões de Joaquim Roriz morreu nesta segunda-feira (23/11), em decorrência de um câncer no pulmão

atualizado 23/11/2020 23:48

Michael Melo/Metrópoles

Querido por aliados e rivais em eleições, Jofran Frejat, 83 anos, recebeu diversas homenagens nesta segunda-feira (23/11). Aos 83 anos, o ex-secretário de Saúde do DF morreu vítima de um agressivo câncer de pulmão. Minutos depois de a notícia ser divulgada, deputados e senadores soltaram notas de pesar, comentaram a morte do médico e do legado que deixou para a cidade.

Frejat estava internado na unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital Santa Lúcia e não resistiu após complicações da doença. O óbito foi confirmado às 18h40. O político recebeu o diagnóstico de câncer de pulmão quando tratava um cálculo renal.

Ao Metrópoles, o presidente da Câmara Legislativa (CLDF), Rafael Prudente (MDB), elogiou o político e a pessoa de Frejat: “Brasília perdeu um grande líder, um grande cidadão. Jofran Frejat construiu uma história com muito trabalho, dedicação e sempre colocou a sinceridade e a ética acima de qualquer negociação ou acordo político”.

Segundo Prudente, Frejat foi reconhecido várias vezes pelo eleitor de Brasília. “Ele merece nosso respeito. Seus projetos foram direcionados para os que mais necessitavam e como empresário e médico lutou pelo desenvolvimento econômico de Brasília e pela geração de empregos. Ficam os ensinamentos e o jeito respeitoso de fazer política do nosso Doutor Frejat. Quero me solidarizar com toda família e amigos, e me colocar à disposição nesse momento difícil”, disse.

Também pela rede social, o deputado distrital Eduardo Pedrosa (PTC) deixou sua referência ao ex-secretário: “Além do talento em saúde, era um político conciliador, honesto e competente. Era muito querido por todos e um grande homem. Fará muita falta a todos nós. Que Deus conforte o coração de seus familiares e amigos, meus sentimentos”.

O líder do governo na CLDF, Claudio Abrantes (PDT), divulgou nota na qual registrou: “Despede-se um homem que deixa um vasto histórico de trabalho por Brasília. Jofran Frejat foi um dos políticos mais importantes da capital, e um dos legados que deixa é a criação da Escola Superior de Ciências da Saúde do DF (ESCS). À família, minha solidariedade e meus votos de paz. Que Deus conforte os corações de todos e receba dr. Jofran Frejat de braços abertos”.

“Frejat estará sempre vivo na história do Distrito Federal. Seu legado está espalhado em todos os pontos da cidade. Um líder reconhecido pela construção de diálogo e pelo respeito. Exemplo a ser seguido”, registrou a também deputada distrital Jaqueline Silva (PTB).

Parceiros na campanha de 2014

Em 2014, quando Frejat disputou as eleições para o governo do DF, Flávia Arruda (PL) era sua vice. Eles perderam para Rodrigo Rollemberg (PSB) no segundo turno das eleições. Mas seguiram amigos e aliados. Hoje deputada federal, Flávia Arruda declarou ter aprendido com ex-companheiro de chapa e lamentou a morte.

“É com tristeza que recebo a notícia da morte do Frejat. Sem dúvida alguma, perdemos um grande homem. Em 2014, tive a honra de ser a vice na chapa dele, com quem aprendi muito! Nossos sentimentos aos familiares e amigos”, declarou a parlamentar, atual coordenadora da bancada federal do DF.

O senador Izalci Lucas (PSDB) recebeu com tristeza a notícia da morte do amigo. “Um exemplo de ser humano. Jofran Frejat médico, Jofran Frejat deputado, Jofran Frejat gestor público era sempre o mesmo Frejat, aquele que fazia o bem sem olhar a quem. Dedicou a maior parte de sua vida ao nosso Distrito Federal como médico, deputado federal e secretário de Saúde. Para nós, que aqui ficamos, o que nos consola é que ele sempre estará presente no imenso legado que deixa pela sua história de vida, trabalho, honestidade e amor ao próximo”, lamentou.

Pelo Twitter, a senadora Leila Barros (PSB) falou sobre o médico: “Perdemos um homem que lutou pelo SUS [Sistema Único de Saúde] e foi um dos responsáveis pela criação da Escola de Ciências da Saúde do DF [ESCS]. Que Deus conforte o coração dos amigos e familiares”.

Em nota à coluna, o senador Reguffe (Podemos) ressaltou: “Tivemos um ótimo papo há pouco tempo. Sinto muito essa perda. Era uma pessoa decente e preocupada verdadeiramente com o bem publico”.

O também deputado federal Luís Miranda (DEM) afirmou: “Perdemos um ser humano exemplar e um político que ajudou a transformar o Distrito Federal. Visão futurista e um enorme conhecimento do nosso povo marcaram sua vida pública. Fará muita falta”.

“Frejat estará sempre vivo na história do Distrito Federal. Seu legado está espalhado em todos os pontos da cidade. Um líder reconhecido pela construção de diálogo e pelo respeito. Exemplo a ser seguido.

Líder do governo no Congresso Nacional, o senador Eduardo Gomes (MDB-TO), divulgou nota na qual lamentou o falecimento do político do DF. “Hoje, o Distrito Federal se despede de um dos maiores homens públicos de sua história, o médico Jofran Frejat. Ele deixou sua cidade natal, Floriano, no Piauí, para ajudar a erguer e consolidar o sistema de saúde pública da capital federal. Deputado federal por quatro mandatos e várias vezes secretário de Saúde de seu amigo, o governador Joaquim Roriz, dedicou sua vida a amenizar o sofrimento alheio na hora da doença. Perco um amigo, mas me orgulho de sua trajetória e seu exemplo. Descanse em paz”, pontou.

Trajetória

Jofran Frejat foi titular da Secretaria de Saúde do Distrito Federal por quatro vezes, durante o governo de Joaquim Roriz. Também representou o DF no Congresso Nacional, como deputado federal por cinco mandatos.

Aliado do ex-governador Joaquim Roriz, Frejat era um dos principais nomes do cenário político local, nutrindo simpatia e boas relações com personagens de praticamente todas as ideologias, dos conservadores de direita aos progressistas da esquerda.

Nas eleições de 2018, chegou a liderar as pesquisas de intenção de voto, sendo considerado favorito ao comando do Palácio do Buriti. Contudo, desistiu da disputa por alegar questões de “foro íntimo”.

Frejat era médico-cirurgião e foi responsável por reformular o sistema público de saúde do Distrito Federal. Ele foi um dos responsáveis pela criação da Escola Superior de Ciências da Saúde do DF (ESCS). O político também ocupou o cargo de ministro interino da Previdência Social.

 

0
Outras manifestações

Candidata derrota ao Governo do Distrito Federal nas últimas eleições, a professora do Departamento de Saúde Coletiva da Universidade de Brasília (UnB) Fátima Souza (PSol) registrou seu lamento pela morte de Frejat.

“O Distrito Federal fica menor com a partida do médico Jofran Frejat, ex-secretário de Saúde e ex-deputado federal. Fez muito pela saúde de Brasília e pela educação, quando criou a Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS). Um humanista dedicado à saúde pública”, afirmou Fátima. “Que os espíritos de luz recebam-no em sua nova morada. Aos familiares, meus sinceros sentimentos”, acrescentou.

O PDT, em texto assinado pelo presidente da legenda no DF, Georges Michel; e o Partido Verde divulgaram notas de pesar pela morte do ex-secretário de Saúde. Leia abaixo:

“Lamentamos o falecimento de Jofran Frejat, honrado político, ocupou altos cargos no Distrito Federal, no Governo Federal e foi deputado federal, sempre pautado na ética e no interesse público. O PDT-DF expressa profundo sentimento por essa perda para a sociedade brasiliense e deseja a seus familiares solidariedade nesse momento triste.”

“O Partido Verde lamenta a morte do relevante nome da política do Distrito Federal, Jofran Frejat. Estendemos a todos os familiares e amigos a nossa solidariedade e pesar neste triste momento. Pelo Distrito Federal, Frejat foi deputado federal e secretário de Saúde em dois mandatos, tendo o seu trabalho reconhecido pelo conjunto da sociedade.”

Últimas notícias