Covid: rede privada tem 8 UTIs livres no DF; não há vaga para crianças

Na manhã desta sexta-feira (9/4), a taxa de ocupação de leitos de UTI Covid em hospitais particulares da capital está em 98%

atualizado 09/04/2021 8:56

leitos de utiHugo Barreto/Metrópoles

A taxa de ocupação de unidades de terapia intensiva (UTIs) voltadas para pacientes com Covid-19 na rede privada do Distrito Federal amanheceu nesta sexta-feira (9/4) em 98%. Os dados constam no sistema InfoSaúde, do Governo do Distrito Federal (GDF), atualizado às 7h10.

São 418 leitos preenchidos, oito disponíveis e 13 bloqueados. Os dois leitos pediátricos existentes na rede particular são usados neste momento, não havendo mais vagas para crianças.

Atualmente, 14 hospitais com leitos de UTI Covid particulares estão 100% ocupados no DF. Há seis vagas no Hospital Santa Lúcia, na Asa Norte; uma no Hospital São Francisco; e outra no Sírio-Libanês.

Rede pública

Os dados de leitos de UTI na rede pública do DF foram atualizados às 8h10 desta sexta. A ocupação das unidades de terapia intensiva voltadas para Covid-19 está em 97,4%.

São 406 leitos públicos de UTI Covid preenchidos e 11 vagos. Dos leitos livres, dois são pediátricos, dois neonatais e sete adultos. Outros 33 aguardam liberação.

Há nove hospitais com leitos de UTI Covid públicos 100% ocupados no DF. As vagas estão no Hospital de Base (uma adulta), no Hospital de Campanha da Polícia Militar (uma adulta), no Hospital da Criança (duas pediátricas), no Hospital Regional da Asa Norte (duas neonatais), no Hospital Regional de Santa Maria (duas adultas), no Hospital do Gama (duas adultas) e no São Francisco (uma adulta).

0

Pessoas entre 46 e 71 anos são as que mais têm ocupado leitos públicos na capital. A idade que mais preenche UTIs Covid neste momento é 59 anos, com15 pessoas internadas na rede pública para tratamento da doença.

Ainda conforme os dados do painel do GDF, 82,3% dos pacientes em UTIs públicas ficam internados até 15 dias para tratar o novo coronavírus. Outros 14,5% permanecem até 30 dias, e 3,2% passam mais de um mês no leito.

A lista de espera por UTI na rede pública segue em alta. Até as 8h desta sexta, somava 255 pessoas com suspeita ou confirmação de infecção pelo novo coronavírus. A fila por UTIs em geral tinha 343 pacientes.

Últimas notícias