*
 

Quem deveria cuidar pode ter se tornando o responsável por um episódio de assédio a uma adolescente. O conselheiro tutelar do Gama II, Diego Fabrício Coutinho Pereira, foi afastado, no último dia 13 de maio, pela Comissão de Ética e Disciplina dos Conselhos Tutelares, acusado de assediar por meio da troca de mensagens uma adolescente atendida por ele. Segundo a denúncia de um conselheiro que não quis se identificar, para não sofrer retaliações, as mensagens continham palavras “picantes” e pedido de nudes.

O denunciante conta que Diego Fabrício atendia a jovem e acabou pegando o contato da garota. A partir disso, o conselheiro começou a trocar mensagens com a adolescente. Nas conversas via WhatsApp, Diego teria enviado mensagens de conteúdo inadequado e chegou a pedir fotos nuas da garota.

As trocas de mensagens foram descobertas pela mãe da menina, que levou a denúncia à delegacia. O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) determinou o afastamento de Diego Fabrício. A decisão também foi acompanhada pelo Conselho de Ética dos Conselhos Tutelares, que, após reunião, suspendeu por 60 dias Diego Fabrício. A decisão foi publicada no Diário Oficial do dia 13 de maio, na Seção 2, página 16.

A Secretaria da Criança, em nota, respondeu “que o processo corre sob sigilo”. “A Comissão formada para análise dos fatos tem até 60 dias para apuração e elaboração de parecer sobre o caso. Enquanto isso, o servidor permanece afastado de suas atribuições.” Até o fechamento da matéria, não conseguimos contato com o acusado.

 

 

COMENTE

gamaconselho tutelarcomissão de ética
comunicar erro à redação

Leia mais: Distrito