*
 

O servidor comissionado do GDF Johnbertson Bezerra de Souza Soares, acusado de participar do estupro de uma adolescente de 17 anos em Fortaleza (CE), foi exonerado do cargo que ocupava na Administração de Águas Claras. A medida foi publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (9/8). De acordo com a Polícia Civil do Ceará, ele e um amigo teriam divulgado um vídeo com imagens da vítima nua e inconsciente. Os dois suspeitos continuam presos na capital cearense.

Fontes ouvidas pelo Metrópoles confirmaram que a exoneração foi motivada pelo escândalo policial. Inicialmente, Johnbertson Bezerra foi identificado como assessor parlamentar. No entanto, ele ocupava o cargo de gerente de Cultura, Esporte e Lazer da Administração de Águas Claras desde abril deste ano.

De acordo com pessoas que trabalhavam com o suspeito, ele se dava bem com todos e nunca tinha apresentado desvios de comportamento. Johnbertson deu expediente na administração até a última sexta-feira (5). Em seguida, viajou para Fortaleza a passeio com um amigo, estagiário do Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT).

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dececa) de Fortaleza. De acordo com a Polícia Civil do estado, o inquérito está em fase de conclusão e segue em segredo de Justiça.

Os acusados foram autuados por gravar material pornográfico envolvendo adolescente. O autor do vídeo também responde por estupro de vulnerável, já que tocou na jovem durante a filmagem, e por divulgação do material. Os aparelhos celulares dos suspeitos foram apreendidos e serão submetidos à perícia.

Caso
A ocorrência foi registrada no último domingo (6). Segundo informações da Polícia Civil do Ceará, os dois turistas conheceram um grupo de amigas no sábado (5). Na ocasião, criaram um grupo em uma rede social para trocar mensagens e marcar novos encontros. Ao retornar de um bar à noite, a adolescente abusada sexualmente teria dormido no hotel em que os brasilienses estavam hospedados.

O vídeo postado no grupo das amigas mostra o ex-servidor comissionado do GDF tocando nas partes íntimas da jovem enquanto ela estava nua e desacordada. As colegas da menina acionaram a Polícia Militar, que levou a ocorrência até a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM). Na unidade policial, os dois confessaram terem produzido o vídeo, mas alegaram que a adolescente havia pedido que eles gravassem o ato.

 

 

COMENTE

fortalezaexoneraçãoestupro de vulnerávelJohnbertson Bezerra
comunicar erro à redação