Com reajuste, gás de cozinha pode chegar a R$ 105 no DF, diz sindicato

Além do aumento anunciado pela Petrobras, uma segunda revisão está prevista para a próxima quarta-feira (16/6)

atualizado 14/06/2021 14:16

gás de cozinhaHugo Barreto/Metrópoles

Entrou em vigor à 0h desta segunda-feira (14/6) o aumento no preço do gás de cozinha anunciado pela Petrobras no fim da última semana. Com o reajuste, na ordem de 5,9%, a tendência é que o valor possa chegar a R$ 105 em algumas distribuidoras no Distrito Federal.

No entanto, ainda não é possível informar o real impacto ao consumidor. Na próxima quarta-feira (16/6), um segundo reajuste, anunciado pelas engarrafadoras, começa a ser praticado.

Em contato com o Metrópoles, o presidente do Sindicato das Empresas Transportadoras e Revendedoras de Gás LP do Distrito Federal (Sindvargas-DF), Sérgio Guimarães Costa, disse entender que a mudança terá impacto no bolso do consumidor, pois não há como absorver o que é repassado pelas empresas sem se adequar.

0

“Na verdade são dois reajuste, um anunciado pela Petrobras e outro das distribuidoras engarrafadoras. Existe uma variação muito grande no Distrito Federal devido os custos operacionais nas revendas. O valor pode chegar a R$ 105 em algumas cidades satélites”, explica Sérgio.

“Entendemos que a política de preços de combustíveis é livre, mas o momento é impróprio. O setor passa por momentos difíceis devido à perda do poder de compra do consumidor e a alta competividade. Depois desses anúncios não há como conter o repasse ao consumidor”, esclarece o sindicato.

Atualmente no DF, segundo os dados de pesquisa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o botijão de 13kg é comercializado no DF com um preço médio de R$ 79,88 – variando de R$ 74,99 a R$ 85.

Mais lidas
Últimas notícias