Com Covid-19, padre do DF está internado em São Paulo. Estado é gravíssimo

Outros religiosos, familiares e amigos pedem corrente de orações pela recuperação do sacerdote João da Silva

atualizado 08/07/2020 19:13

Arquivo pessoal

O padre João da Silva, de 52 anos, que atuou como pároco na igreja São Miguel Arcanjo, no Riacho Fundo I, foi diagnosticado com o novo coronavírus em Campos do Jordão (SP), na última quarta-feira (1/7). Ele está internado em estado gravíssimo em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital de São José dos Campos (SP).

Segundo informações do padre Willames N. Fernandes, da Paróquia São Pedro e São Paulo, de Taguatinga, o sacerdote foi transferido pela Arquidiocese de Brasília para Campos do Jordão em 2019. A mudança ocorreu após João da Silva sofrer forte pneumonia e constatar que, na cidade paulista, o clima seria melhor para a reabilitação de sua saúde.

Padre Willames acompanha o amigo em São Paulo. Conforme conta, na quarta-feira passada, padre João teria passado mal e, ao ser levado ao hospital com uma deficiência de respiração, precisou ser transferido para São José dos Campos, no interior paulista, onde teria mais recursos para o tratamento da Covid-19.

“A questão respiratória é grave. Ele se encontra na UTI, sedado, inconsciente e entubado. Com complicações em órgãos vitais como o pulmão e os rins. Nessa madrugada, os médicos decidiram que ele seria submetido também ao tratamento de hemodiálise”, resumiu Willames.

Os esforços dos parentes e amigos do padre João é para que todos possam se unir em uma corrente de fé para pedir por sua recuperação. “Estamos rezando e botando diante de Deus. Ele é um padre muito atuante, tem muitos amigos. Queremos motivar as pessoas para estarmos juntos nesse momento de luta contra a doença”, completou padre Willames.

0
Trajetória no DF

Atualmente, João da Silva desenvolvia seu trabalho pastoral em São Paulo. Ele atuava como capelão na Casa das Freiras. Em Brasília, o religioso também atuou na Paróquia São Pedro e São Paulo, em Taguatinga Norte; além de ter sido vigário nas igrejas Nossa Senhora da Assunção, em Águas Claras, e Nossa Senhora da Esperança, na Asa Norte.

De acordo com o padre Roberto Crispim, pároco da igreja Nossa Senhora da Paz, no Gama, eles se formaram na mesma turma, chegando a Brasília em 1992. “Ele está grave. Estamos rezando muito para ele se recuperar. Já passou por muitas situações difíceis, luta contra outras doenças, como a diabetes, e torcemos pelo seu retorno”, concluiu padre Crispim.

Últimas notícias