Com baixa procura, vacina da gripe é prorrogada até esgotarem estoques

Segundo a Secretaria de Saúde, o DF tem 300 mil doses em estoque nas redes de frio

atualizado 09/07/2021 12:36

Vacinação contra gripe posto 612 SulRafaela Felicciano/Metrópoles

O Ministério da Saúde prorrogou, nesta sexta-feira (9/7), a campanha da vacinação contra o vírus influenza, causador da gripe, para todos os indivíduos com mais de 6 meses de idade,  que ainda não tenham recebido a dose nesse ano. Segundo a Secretaria de Saúde, o DF tem 300 mil doses em estoque nas redes de frio. A campanha está prorrogada até acabarem os estoques no Distrito Federal.

A cobertura vacinal da campanha, que começou em abril, está baixa e não atingiu 50% de cobertura nos grupos de risco, a meta era 90%.

A vacinação está ampliada para as pessoas que não fazem parte dos grupos prioritários desde segunda-feira (5/7). Para receber o imunizante, basta procurar uma das 100 unidades básicas de saúde (UBSs) que aplicam a vacina. Esses locais funcionam das 8h às 17h. Veja aqui onde se vacinar.

A pasta orienta que o grupo prioritário de puérperas, gestantes e idosos receba a dose. “São as pessoas que tendem a ter mais complicações e óbitos em decorrência da influenza”, afirmou a Secretaria.

0
Proteção

A influenza é uma infecção respiratória aguda, causada pelos vírus A, B, C e D. O vírus A está associado a epidemias e pandemias, tem comportamento sazonal e apresenta aumento no número de casos entre as estações climáticas mais frias. A vacina disponibilizada na rede pública garante proteção contra os vírus influenza A H1N1 e H3N2, e Influenza B.

O imunizante é contraindicado para crianças menores de 6 meses e pessoas com histórico de alergia grave (anafilaxia) a algum componente da vacina ou que tiveram reações alérgicas à dose anterior.

Garantir a proteção contra o vírus influenza é importante no combate ao coronavírus Sars-CoV-2. O vírus da gripe pode ser agente das formas graves da doença, especialmente no período mais frio do ano. A vacinação anual previne possíveis agravamentos e mortes pela doença.

 

Mais lidas
Últimas notícias