Com 7 mil diagnósticos, Núcleo de Saúde Mental do Samu-DF vai fechar

Fim do serviço especializado preocupa servidores do Samu, que registraram aumento de atendimentos a emergências psiquiátricas na pandemia

atualizado 21/03/2022 22:45

Ambulância deixa paciente com cornavirus (covid-19) no HranRafaela Felicciano/Metrópoles

Funcionários do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) denunciam que o Núcleo de Saúde Mental (Nusam) do órgão será encerrado. O fim do serviço especializado preocupa servidores do órgão, que registraram aumento no número de atendimentos a emergências psiquiátricas na pandemia de Covid-19.

Ao Metrópoles, uma servidora que trabalha no Núcleo e pediu para não ser identificada disse que a direção do Samu convocou uma reunião na última semana para informar aos funcionários que a Central de Informações Toxicológicas e Atendimento Psicossocial (Ceitap) será retirada do organograma do Samu. Tal gerência abarca dois serviços: a Central de Informações Toxicológicas (Ciatox) e o Núcleo de Saúde Mental.

Nesta segunda-feira (21/3), o vice-presidente da Câmara Legislativa (CLDF), deputado Rodrigo Delmasso (Republicanos), enviou ofício ao secretário de Saúde do DF, Manoel Pafiadache, argumentando que “o Núcleo de Saúde Mental existe desde 2013 e é composto por uma Ambulância de Suporte Avançado (Condutor + Psiquiatra + Enfermeiro + Psicólogo ou Assistente Social), atendendo a todo o Distrito Federal e intervindo nas situações de Emergência Psiquiátrica, reduzindo internações desnecessárias, prestando um serviço pré-hospitalar qualificado aos pacientes”.

“Diante de tal cenário, agravado pela pandemia de Covid, é possível identificar o preocupante aumento das demandas de saúde mental nos chamados do Samu. Ou seja, desfazer-se do serviço acima descrito é assustador, especialmente em uma época em que é preciso somar esforços para reforçar a atuação e assistência em saúde mental”, diz o distrital, no ofício.

Delmasso ainda considera que “a situação é grave, uma vez que esse tipo de atendimento ocupa o terceiro lugar em número de chamados do 192”. “Qualquer ação no sentido de desmobilizar este serviço representa um retrocesso e a consequente desassistência à população”, pontua.

Veja o ofício:

Ofício Nusam by Ana Karolline Rodrigues on Scribd

7 mil diagnósticos

Em 2020, o Samu-DF somou 7.123 diagnósticos confirmados de problemas psiquiátricos. O número é o terceiro no ranking, atrás apenas de diagnósticos clínicos e traumáticos. Os dados de 2021 ainda não teriam sido computados. Confira os dados do monitoramento estatístico:

Diagnósticos Samu by Ana Karolline Rodrigues on Scribd

Para servidores que atuam no Núcleo, o fim do serviço especializado, que é único no Brasil, preocupa. “Falam que, como o Nusam só existe no Samu do DF, é difícil de manter”, conta a servidora que pediu para não ser identificada.

“No contexto de pandemia, os casos de comportamento suicida dobraram, a média é 13, 14 por dia. Ainda, há um aumento exponencial nos casos de surto psicótico, crise de ansiedade e depressiva, abuso de álcool e outras drogas”, diz. “Temos maior incidência de crianças e adolescentes na emergência e o Samu está desarticulando esse serviço”, reclama.

Nusam

O Nusam conta atualmente com 27 servidores e foi criado para atender exclusivamente demandas relacionadas a transtornos psicológicos, como depressão e crises de ansiedade. O serviço funciona tanto de forma presencial, em ambulância, como a distância, por telefone, na Central de Regulação Médica 192.

O teleatendimento é formado por psicólogos e assistentes sociais, disponíveis 24 horas. Após as ligações da população serem atendidas pelos médicos reguladores, são avaliadas e classificadas como demanda em saúde mental, sendo redirecionadas aos profissionais que atuam na baia reservada ao Nusam.

Já os atendimentos que necessitam da presença da equipe in loco são realizados pela Unidade de Suporte Avançado (USA) especializada em saúde mental. Na ambulância, vai a equipe formada por médico, enfermeiro, psicólogo ou assistente social e condutor socorrista. Eles saem da base no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA) e atendem a todas as regiões do DF.

O que diz a Secretaria de Saúde

Procurada, a Secretaria de Saúde disse que “o serviço ofertado na estrutura do Samu continuará a ser realizado de forma reorganizada”, mas não informou quando deve ocorrer a mudança. Veja a nota da pasta:

“A Secretaria de Saúde informa que o serviço ofertado na estrutura do Samu continuará a ser realizado de forma reorganizada. O que vai ocorrer a partir de agora é uma reestruturação interna administrativa, para que os serviços estejam subordinados às Gerências adequadas, que tratam especifica e adequadamente de cada caso abordado. Essa reorganização visa o fortalecimento dos serviços e valorização dos servidores.

Os serviços abrangem a Assistência Psicossocial exercida por meio da viatura especializada USA Saúde Mental, e a estação de atendimento psicossocial, situada dentro da Central de Regulação de Urgências.

A secretaria destaca que a abordagem psicossocial deve existir em todos os lugares, tanto de forma direta pré-hospitalar ao paciente na rua ou em domicílio, quanto na Central de Regulação, e no Núcleo de Educação em Urgências, onde essa experiência pode ser multiplicada para todos os colaboradores do Samu. Prova disso é que, em dezembro de 2021, o Samu promoveu, em conjunto com o Ministério da Saúde, uma capacitação para atendimentos de Saúde Mental.

A Pasta considera esse momento como uma evolução, após o amadurecimento do serviço, que ganhou destaque gradativo ao longo dos anos, e que deve ser difundido em todos os cenários em que atuam profissionais da rede de urgência.”

Mais lidas
Últimas notícias