Venda de umidificadores cresce 60% com aumento da seca

Levantamento da Fecomércio registrou, ainda, números positivos em relação aos produtos farmacêuticos

Michael Melo/Metrópoles

atualizado 19/07/2018 12:35

Há exatos 61 dias sem chuva, o comércio do Distrito Federal começa a sentir os benefícios econômicos do período de seca, que vai de maio a setembro. De acordo com levantamento realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio-DF), as vendas de umidificadores de ar cresceram 60% desde o início da estiagem. Produtos farmacêuticos, como remédios, colírios e hidratantes também estão entre os itens mais procurados.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as últimas chuvas no DF foram registradas em 30 de abril. De lá para cá, os dias têm se alternado entre frios e quentes, mas sempre muito secos. Com isso, as vendas de cremes hidratantes, remédios para tosse, colírios e xaropes subiram 30%.

“É comum as vendas crescerem em lojas que comercializam produtos como ventiladores, climatizadores, umidificadores e ar-condicionado. Há também um crescimento na área farmacêutica, na venda de remédio para tosse, xarope e colírios”, disse o vice-presidente da Fercomércio-DF, Edson Castro. “Outro segmento que é bastante procurado pelos clientes neste período é o de vestuário esportivo, pois os consumidores procuram roupas mais leves”, completa.

Com a umidade próxima à casa dos 10%, os mais atingidos com enfermidades são as crianças e os idosos. O reflexo, além de nas farmácias do DF, também acaba se estendendo aos supermercados e ao consumo de produtos saudáveis.

“As pessoas nessas faixas etárias procuram se hidratar e consumir produtos mais saudáveis, como verduras, legumes e produtos integrais, o que acaba aquecendo também o setor alimentício da cidade”, finaliza Edson Castro.

Segundo o Inmet, não há previsão de chuvas pelo menos até o fim de agosto. A estimativa é para a partir da segunda quinzena de setembro.

Últimas notícias