Centros de atendimento à mulher seguem abertos durante lockdown no DF

Serviços da Secretaria da Mulher são considerados essenciais; por isso, permanecerão funcionando. Veja quais são os canais de ajuda

atualizado 01/03/2021 7:46

X vermelho na mãoRafaela Felicciano/Metrópoles

Por atuarem como serviços essenciais, os Centros Especializados de Atendimento à Mulher e a Casa Abrigo permanecerão em funcionamento durante o período de lockdown no Distrito Federal. Os centros ficam abertos de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h30, e a Casa funciona 24 horas, todos os dias da semana, acolhendo mulheres em situação de vulnerabilidade.

As vítimas de violência familiar e doméstica só podem acessar o serviço da Casa Abrigo por meio de encaminhamento da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), após denúncia.

Os Ceams oferecem acolhimento e acompanhamento interdisciplinar (social, psicológico, pedagógico e de orientação jurídica) às mulheres que vivem casos de violência de gênero. Atualmente, há três unidades em funcionamento no DF: 102 Sul, Planaltina e Ceilândia.

Atendimento remoto

Para agendar o atendimento, basta ligar ou ir pessoalmente a uma das unidades. No entanto, a fim de evitar deslocamentos, esperas e exposições desnecessárias nesse período de isolamento, também é possível marcar horário pela internet, por meio da plataforma de agendamento do GDF, o Agenda DF.

Basta acessar o site e clicar em “Secretaria de Estado da Mulher”. Em seguida, é preciso preencher um cadastro e selecionar a unidade do Ceam onde a mulher deseja ser atendida. Aí, é só escolher dia e horário mais convenientes para o atendimento.

Os Núcleos de Atendimento às Famílias e aos Autores de Violência Doméstica (Nafavd) oferecem atendimento remoto (confira telefones abaixo) e, em casos de urgência, os servidores podem acessar as dependências das sedes do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) para atendimentos individuais e presenciais das vítimas, familiares e autores da agressão.

Segundo a Secretaria da Mulher, em todos os serviços presenciais serão adotadas as medidas de segurança recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) no combate ao novo coronavírus, como uso de álcool 70%, máscara e distanciamento social.

0
Canais de ajuda

Desde o início da pandemia, a Secretaria da Mulher criou canais de atendimento para facilitar o acesso da mulher em situação de vulnerabilidade aos serviços oferecidos pela pasta e também para possibilitar as denúncias de agressão daquelas que não podem sair de casa ou que estão confinadas com seus agressores.

É o caso do “Mulher, você não está só”, uma canal de denúncia via WhatsApp: (61) 99145-0635 e pelo e-mail [email protected], disponíveis 24 horas. As mulheres podem pedir ajuda a qualquer momento e serão orientadas por especialistas e encaminhadas a um dos programas de assistência da Secretaria da Mulher.

Também criado no início da pandemia, com o objetivo de promover a capacitação profissional das mulheres de forma virtual, gratuita e segura, o programa Oportunidade Mulher mantém a programação semanal de cursos e oficinas on-line. Para se inscrever, basta acessar as redes sociais da secretaria (@secmulherdf), preencher um formulário para receber os links diretos das oficinas. Todos os cursos são transmitidos pelo canal do Youtube.

Serviço:

  • Nafavd do Plano Piloto: (61) 99323-6567
  • Nafavd de Brazlândia: (61) 99103-0058
  • Nafavd do Gama: (61) 99120-5114
  • Nafavd de Taguatinga: (61) 99527-1962
  • Nafavd do Paranoá: (61) 99206-6281
  • Nafavd de Planaltina: (61) 99199-4674 / 99128-9921
  • Nafavd de Samambaia: (61) 99530-9675
  • Nafavd de Santa Maria: (61) 99516-1772 / 99194-8963
  • Nafavd de Sobradinho: (61) 99501-6007
  • Ceam 102 Sul: (61) 3223-7264
  • Ceam Planaltina: (61) 3389-8189 – 999202-6376
  • Ceam Ceilândia: (61) 3373-6668

Últimas notícias