Ceasa terá Mercado Central e incentivo para agronegócio no DF

Durante inauguração de nova área para comercialização de peixe, Ibaneis anunciou investimentos no setor e reformas estruturais no comércio

atualizado 05/12/2019 15:57

Michael Melo/Metrópoles

O GDF lançou a projeto de parceria público-privada (PPP) para a construção de um mercado para a Centrais de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa-DF). O governador Ibaneis Rocha (MDB) anunciou o projeto nesta quinta-feira (05/12/2019), em visita à feira.

Na ocasião, houve a inauguração de um posto de brigadistas e a reabertura do setor de vendas de peixes no local — batizado de Mercado do Peixe. Na verdade, o novo ponto dentro da Ceasa também recebeu nome: Mercado Central de Brasília. Ficará dentro do mesmo lugar onde hoje se localiza a central.

Segundo Ibaneis Rocha, o governo vai incentivar ainda mais o agronegócio no DF. “A partir de 2020, nós vamos acelerar ainda mais o trabalho”, pontuou. “O momento agora é de cuidar dos pequenos”, completou.

No discurso, o objetivo não é só ficar em reformas físicas. Tanto que o Ministério da Agricultura vai repassar para o DF R$ 1,8 milhão para ações de defesa agropecuária. Além disso, o GDF lançou um selo de qualidade para produtos rurais fabricados artesanalmente.

O repasse do ministério é fundamental para a entrada do DF no acordo entre o Mercosul e a União Europeia. As tarifas de produtos agrícolas brasileiros vendidos para os países que fazem parte do projeto serão zeradas ou reduzidas — o que cria condições ideais para os fornecedores locais. Em 2018, esse tipo de comércio rendeu US$ 14 bilhões ao Brasil.

Infraestrutura

De acordo com o governo, a Ceasa precisa de investimentos em infraestrutura. Além de melhorias na energia e no esgoto, existe o planejamento de inaugurar a Ceasa Atacadista, para ampliar a margem de lucro dos produtores. Outra meta é aprimorar o sistema de câmeras de segurança.

“Faltava um ponto de encontro na Ceasa. Esse Mercado Central será esse ponto”, cravou Ibaneis. Outra ajuda para os produtores e comerciantes está na redução, em 20%, da taxa de cobrança pelo uso de um espaço chamado de Pedra, onde ocorre a venda de produtos.

Segundo o presidente do Banco Regional de Brasília (BRB), Paulo Henrique Costa, será lançado um programa de microcrédito para os produtores rurais de até R$ 15 mil.

Com as mudanças e os investimentos, autoridades presentes na inauguração prometem e esperam crescimento no setor. Everardo Gueiros, secretário de Projetos Especiais, por exemplo, diz que o Mercado Central de Brasília tem condições de ser referência nacional. E o atual presidente da Ceasa, Wilder Santos, aponta que as reformas são decisivas para o futuro da feira.

“Estamos trabalhando em uma política de abastecimento, onde a Ceasa será a protagonista”, afirma o secretário de Agricultura, Dilson Resende. Além de infraestrutura, o gestor lembra que os produtores também precisam investir no comércio on-line.

“Com o Mercado Central, vamos transformar a Ceasa em um ponto turístico”, prometeu Resende.

Últimas notícias