DF quer vacinar 153 mil crianças contra poliomielite e sarampo

Campanha de vacinação começa nesta segunda-feira (6/8) e Secretaria de Saúde espera atingir 95% da população-alvo, entre 1 e 4 anos

Daniel Ferreira/MetrópolesDaniel Ferreira/Metrópoles

atualizado 03/08/2018 15:12

A Secretaria de Saúde espera vacinar 95% das crianças entre 1 e 4 anos, na Campanha de Vacinação contra a Poliomielite e Sarampo, que começa, no Distrito Federal, a partir da próxima segunda-feira (6/8). Esse percentual corresponderia a 153 mil crianças com idades entre 1 e 4 anos.

Ao todo, o sistema público de saúde disponibilizará 104 salas para promover a vacinação, entre 8h e 17h, de segunda a sexta-feira. Aos sábados, só as unidades com equipe reforçada farão a aplicação durante o período matutino.

O Dia D da Vacinação está previsto para 18 de agosto. O Brasil não registra nenhum caso de poliomielite desde 1989. Já o DF não conta com episódios de sarampo desde 2013, quando um turista que visitava Brasília foi internado com a doença.

Entre cidadãos nativos e locais, não há registros desde 1999. A vacina da poliomielite é aplicada com duas doses e nas versões injetável e de gota, com intervalo de 30 dias entre a primeira e a segunda dose

Na última campanha de vacinação contra a gripe, foram constatados índices menores de imunização entre o público infantil, pois crianças dependem que um responsável as leve. Com investimento de R$ 72 milhões, haverá ampliação no horário de atendimento nos postos de saúde e parcerias com escolas e creches do país, para que se consiga atender toda a população.

Casos suspeitos
De acordo com a pasta, o Distrito Federal apresenta 53 casos de suspeita de sarampo, ainda não confirmados. No entanto, a diretora de Vigilância Epidemiológica, Maria Beatriz Ruy, fez questão de tranquilizar a população. “O alto número de casos não necessariamente constitui um cenário preocupante. É bom, pois  mostra que a vigilância e o monitoramento estão acontecendo e em pleno funcionamento. Lembramos que os casos são suspeitos, não há nada confirmado”, completou.

O subsecretário Marcos Quito também ressaltou que a campanha receberá uma ênfase maior, em decorrência do atual cenário de cobertura vacinal que encontra-se abaixo do esperado. “Existe uma relação de receio em alguns pais de levarem seus filhos para vacinação. Mas a história mostra a importância de se submeter ao procedimento. No Brasil, conseguimos erradicar a poliomielite. As vacinas são extremamente seguras e não possuem reações adversas graves”

A vacina tríplice viral deve ser tomada pela primeira vez aos 12 meses, e a segunda dose, aos 15 meses de idade (tetra viral). Crianças de 5 a 9 anos e jovens de 10 a 29 anos que perderam o prazo de vacinação anterior, devem tomar duas doses da tríplice. Já adultos entre 30 e 49 anos devem tomar uma única dose. Excepcionalmente para o público infantil, a orientação atual é que, mesmo que já tenham sido vacinadas, as crianças compareçam para tomar uma dose de reforço.

O sarampo e a poliomielite, conhecida como paralisia infantil, são doenças graves e infecciosas que só podem ser evitadas por meio de vacina. O Brasil enfrenta atualmente dois surtos de sarampo, em Roraima e no Amazonas, cinco mortes já foram registradas até o momento no país.

Certificado
Em 2016, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) o certificado de eliminação da circulação do vírus do sarampo. De acordo com balanço feito pelo Ministério da Saúde, os surtos recentes estão relacionados à imigração de venezuelanos, comprovada pela identificação do genótipo do vírus (tipo D8), o mesmo que circula na Venezuela. Já a pólio teve seu último caso registrado em 1989.

No dia 18 de agosto ocorrerá o dia D de vacinação, todos os estados do Brasil já receberam 28 milhões de doses da vacina, injetáveis e orais. A tríplice viral protege contra o sarampo, rubéola e caxumba. O Ministério faz apelo também pelo combate à circulação de fake news, que levam informações erradas sobre as doenças, vacinas e datas referentes a campanha.

Últimas notícias