App com georreferenciamento é disponibilizado para denúncias sobre Lázaro

O Brasil Mais Seguro será usado exclusivamente para recebimento de denúncias sobre o assassino em série e está disponível de forma gratuita

atualizado 28/06/2021 14:22

Lázaro Barbosa Reprodução/PCGO

A força-tarefa da Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO) que trabalha nas buscas de Lázaro Barbosa, 32 anos, em Girassol (GO), passa a contar, a partir desta quarta-feira (23/6), com um aplicativo de georreferenciamento para denúncias sobre o paradeiro do psicopata, foragido há 15 dias.

O app Brasil Mais Seguro será usado exclusivamente para recebimento de denúncias sobre o assassino em série e está disponível de forma gratuita para Android e iOS.

Segundo SSP-GO, a tecnologia filtra denúncias no raio de 100 quilômetros e identifica localização do denunciante, como forma de garantir a segurança do cidadão e diminuir as chances de trote.

Com objetivo de contribuir com a operação de captura de Lázaro, foi colocado à disposição da força-tarefa, de forma exclusiva e gratuita, o aplicativo que tem a capacidade de receber a denúncia dos moradores da região e identificar a localização do denunciante. A tecnologia de georreferenciamento contribui diretamente na operacionalidade da checagem das informações repassadas e garante a segurança do cidadão.

O tenente-coronel da Polícia Militar de Goiás (PMGO) Pedro Henrique Batista explicou que o aplicativo surgiu para otimizar o recebimento e a pronta resposta às denúncias. “O Brasil Mais Seguro pode ser baixado no celular e, a partir do momento que o usuário acionar o alerta, a informação vai chegar georreferenciada para nós. Vamos ter a localização exata, e saberemos que recurso empregaremos para dar uma resposta e averiguação mais rápida.”

Fernando Eduardo da Veiga, responsável pelo app, esclareceu sobre o funcionamento da tecnologia. “O aplicativo foi desenvolvido com baixo consumo de bateria e pouca memória para que todos os usuários possam baixar. Ele é totalmente gratuito e está disponível nas lojas on-line. É só fazer o cadastro e, no momento de qualquer pista sobre o foragido, clicar o botão de alerta, que já cai na central de monitoramento, agilizando a ocorrência, evitando as fake news e dando maior segurança para quem acionou”, explicou.

Fernando destacou que o dispositivo é usado exclusivamente para as denúncias sobre o paradeiro de Lázaro. “A denúncia é imediata para que a resposta seja a mais rápida possível.”

A delegada da PCGO Paula Meotti também atualizou os números do disque-denúncia. Até o momento, 3,8 mil informações foram recebidas pela força-tarefa. Ela reforçou a necessidade de responsabilidade nas informações. “A gente pede, realmente, que a população colabore com a polícia. Estamos trabalhando 24h para filtrar essas informações, e pedimos para se limitarem a passar dados reais e concretos”, ressaltou. Ainda segundo ela, denúncias de outras unidades da Federação são checadas.

Caçada

Na manhã desta quarta-feira (23/6), viaturas policiais ainda realizam buscas por Lázaro na região em que um fazendeiro trocou tiros contra um homem que tentou invadir uma chácara em Girassol, próximo a Edilândia, no Entorno do Distrito Federal. O fato aconteceu na noite dessa terça-feira (22/6).

Metrópoles apurou que o suspeito tentou arrombar a porta da casa, mas acabou contido pelo proprietário do terreno, que estava armado. O criminoso revidou.

As buscas no local de mata fechada duraram toda a madrugada e seguem pelo dia. Aos policiais o caseiro contou que, por volta das 20h40, percebeu quando alguém tentou forçar a maçaneta da porta da casa. Ele pegou a arma e atirou contra o invasor. Houve troca de tiros. Após os disparos, ligou para um amigo na cidade e pediu para que mandasse uma viatura até o endereço.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
0

A reportagem conseguiu conversar com o dono da propriedade, de 54 anos, que preferiu não revelar o nome.

“Ele deu um tiro a cerca de 50m. Eu não me assusto. Estava esperando. Não saí daqui em nenhum momento. Estou aqui 24h. Não tenho medo disso aqui. Quem tem de ir embora é ele, não é nós, não”, afirmou o fazendeiro.

Segundo o proprietário, na última sexta-feira (18/6), um invasor entrou na casa, pegou leite e linguiça no congelador e, depois, deixou o local.

Ele disse não poder confirmar que se trata de Lázaro. “Tem muita gente aproveitando dessa situação. Os criminosos estão caindo em cima”, disse.

Até o momento, não há confirmação se o invasor é Lázaro Barbosa de Sousa. O fazendeiro não se feriu na troca de tiros e não soube dizer se o criminoso foi atingido. Ele contou que não teve contato visual direto com o suspeito e teria visto apenas “um vulto” por um buraco.

“As polícias ficaram a noite toda vasculhando, mas não acharam nada na mata. Eu reagi porque ninguém chega para arrombar a minha porta. Estou preparado”, explicou.

Buscas

A força-tarefa das polícias de Goiás e do Distrito Federal entrou, nesta quarta-feira (23/6), no 15º dia de buscas a Lázaro Barbosa, 32 anos, na região de Girassol, distrito de Cocalzinho, no Entorno. O fugitivo é acusado de cometer série de crimes – entre os quais, uma chacina que vitimou quatro pessoas da mesma família, no Incra 9, em Ceilândia, em 9 de junho deste ano.

Nesta manhã, a base de operações montada na Escola Municipal Alto da Boa Vista amanheceu com pouca presença de forças de segurança.

Antes, a operação contava com mais pontos de bloqueio ao longo de todo o percurso entre o Distrito Federal e Cocalzinho de Goiás, nesta quarta-feira, a reportagem identificou apenas uma fiscalização da Polícia Rodoviária Federal (PRF) entre Águas Lindas e Girassol.

Mais lidas
Últimas notícias