Após vídeo polêmico, Ibaneis exonera diretor de hospital de Brazlândia

Nas imagens gravadas por um sargento da PM, servidores aparecem descansando na unidade de saúde enquanto emergência está lotada

Reprodução/VídeoReprodução/Vídeo

atualizado 08/03/2019 14:28

Após a repercussão do vídeo em que profissionais de saúde aparecem na sala de descanso do Hospital Regional de Brazlândia (HRBz) enquanto pacientes lotam o pronto-socorro da unidade à espera de atendimento, o governador Ibaneis Rocha (MDB) determinou a exoneração do diretor da unidade de saúde, Valterdes Silva.

Além disso, ordenou à pasta da Saúde que instaure inquérito administrativo para apurar o caso.  “A secretaria confirma que recebeu determinação do governador para exoneração do diretor do Hospital de Brazlândia e abertura de inquérito administrativo sobre os fatos narrados no vídeo. As determinações serão cumpridas”, ressaltou o órgão, em nota.

Durante lançamento de pacote de medidas em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, o governador disse que o servidor público tem obrigação de atender bem a comunidade. “No momento em que nomeio um diretor, ele está lá exatamente para cuidar não só do atendimento da comunidade como a fiscalização. E fica o recado para quem não quiser partir para essa situação: atenda bem a comunidade, fiscalize os servidores que estão sob a sua guarda”, destacou.

O flagrante no Hospital Regional de Brazlândia foi feito na manhã de quarta-feira (6/3) pelo sargento da Polícia Militar Flávio Mendes, que trabalha no local. As imagens mostram servidores sentados em poltronas, assistindo a TV. Acreditando que o local era ocupado por médicos, o PM cobra que os profissionais assumam seus postos para desafogar a fila de atendimentos, mas é informado de que ali só havia dentistas.

A versão é confirmada pela Secretaria de Saúde. Segundo a pasta, os três profissionais que aparecem na imagem são dentistas e não médicos, como denuncia o sargento. “Como não havia demanda de odontologia, os profissionais estavam em descanso, no aguardo de novas demandas”, diz a nota encaminhada ao Metrópoles.

Veja:

De acordo com a SES, na terça (5) e na quarta-feira (6), dois clínicos estavam escalados para cada turno de plantão, atendendo somente pacientes graves, casos classificados como vermelho, laranja e amarelo, ou aqueles com possibilidade de tornarem-se graves em caso de não atendimento.

Além disso, conforme explicou a pasta, os médicos atendiam pacientes internados na enfermaria do pronto-socorro e no box de emergência.

Pacientes classificados sem gravidade, com a etiqueta verde, foram orientados a procurar uma das unidades básicas de saúde, que voltaram a funcionar nessa quinta (7).

Últimas notícias