Após ser assediada, jovem denuncia agressão de segurança em bar do DF

Confusão ocorreu na madrugada de terça-feira (23/11) no bar Aula Extra e Chopperia, em Ceilândia

atualizado 25/11/2021 13:15

Menina com rosto ensanguentadoMaterial cedido ao Metrópoles

A ida de um grupo de amigos a um bar de Ceilândia terminou na delegacia, com acusação de assédio e ocorrência de briga generalizada. O caso envolve clientes do estabelecimento e seguranças do local.

Por volta de 1h , Ana Paula de Lima, 18 anos, se deu conta de que havia perdido sua aliança de namoro ao se preparar para ir embora do local. Ela estava acompanhada do namorado, que havia saído para pagar a conta da mesa, uma prima, um amigo e um conhecido da prima.

Enquanto buscava pelo anel, o conhecido da prima perguntou qual era o motivo de Ana estar chorando. E, segundo a jovem, neste momento, o homem a segurou pelo pescoço e tentou beijá-la à força após saber que ela estava sem aliança. Ao ver a cena, a prima de Ana interveio e criticou a atitude do rapaz. “Você está louco?”, perguntou a moça.

Veja o resultado da agressão

0

O ex-fuzileiro naval, Jizreel Italo, 20, namorado de Ana, voltou do caixa e também começou a discutir com o rapaz. De acordo com a jovem, um dos seguranças mandou Jizreel se retirar, mas ele não deu ouvidos e acabou sendo agredido com um soco no rosto. Em seguida, outro funcionário, que estava de folga no dia da confusão, interveio e levou o rapaz para a parte da frente do estabelecimento.

Ao ver que uma multidão se formava na porta do bar, Ana viu que um grupo de seguranças estava ao redor de Jizreel. A jovem diz que eles chutaram a cabeça do namorado. Neste momento, Ana teria entrado no meio na tentativa de separar a briga e foi atingida no rosto.

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) foi chamada e encaminhou todos os envolvidos para a 15ª Delegacia de Polícia (Ceilândia Centro). O ex-fuzileiro naval foi levado às pressas para o Hospital São Francisco, em Ceilândia, pelo Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (CMBDF).

Segundo o boletim de ocorrência, o conhecido do grupo diz que não “se recorda do motivo” da discussão com Jizreel e nega ter visto a confusão.

O segurança que acertou o primeiro soco no namorado de Ana, no entanto, alega que o rapaz estava visivelmente alterado e acertou um soco em seu nariz  para reprimir a “iminente agressão”. Segundo o funcionário, Jizreel ameaçou voltar para sua casa para “buscar uma pistola para resolver a situação”. O outro segurança confirma a versão de seu colega e acusa Jizreel de tê-lo empurrado, mas nega ter dado um chute no rosto do rapaz. A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) investiga o caso.

Aula extra 

Procurado, o estabelecimento nega a versão apresentada por Ana Paula e reitera que os funcionários reagiram às ameaças feitas por Jizreel. Após a ida dos envolvidos para a delegacia, colaborou com a investigação policial e aguarda o resultado das diligências.

Mais lidas
Últimas notícias