Após passar por cirurgia cardíaca, bebê Khalleo morre no DF

Khalleo esperou por quase um mês por uma vaga no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF)

atualizado 22/11/2020 18:09

Khalleo SenaArquivo pessoal

O bebê Khalleo Lucas Sena Lopes não resistiu ao pós-operatório da cirurgia de coarctação da aorta e morreu no início da tarde deste sábado (21/11), no dia em que completou 1 mês e 4 dias. Segundo os médicos, a criança não respondeu bem ao procedimento.

Khalleo esperou por quase um mês por uma vaga no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF). Ele nasceu com cardiopatia congênita grave: o coração foi produzido do lado direito do peito.

A família achou que o pequeno estava salvo quando, após tanta espera, ganhou a chance de fazer a cirurgia. A operação aconteceu na sexta-feira (20/11). Para Karoline Moreira, membro da Associação DF Down, Khalleo é vítima da negligência do Estado.

“Vamos crer que Deus sabe de todas as coisas, mas isso foi por conta da demora. Ele nasceu com 5% de chance de sobreviver, mas não teve o tratamento adequado imediatamente. As chances deles foram se esvaindo”, lamentou.

0

Ela destaca que a demora aconteceu apesar da cobertura midiática e da pressão judicial, já que decisão da 5ª Vara da Fazenda Pública e Saúde Pública do DF atendeu o pedido da família e determinou que o Distrito Federal internasse o recém-nascido e custeasse o tratamento adequado.

Procurada, a Secretaria de Saúde (SES) manifesta pesar e solidariedade à família de Khalleo Lucas Sena Lopes. A SES informou também que, há alguns meses, tem se empenhado em buscar solução para as dificuldades enfrentadas pelo Instituto de Cardiologia do DF e que foi feito acordo, na Justiça, com metas para o mês de outubro que, segundo a pasta, não foram cumpridas pelo ICDF.

A Secretaria afirma ainda que, por isso mesmo, buscou entendimento com o instituto para, mais uma vez, buscar solução para os problemas enfrentados e, na última semana, repassou quase R$ 4 milhões para o ICDF, antes mesmo do prazo limite estipulado em contrato para esse pagamento. A pasta informa que vai  agilizar o pagamento da próxima fatura, referente aos serviços prestados no mês de outubro e que aceitou fornecer insumos básicos para ajudar a viabilizar as cirurgias cardíacas. O material fornecido terá o valor abatido em pagamentos futuros. Em contrapartida, ficou acertado que o instituto vai atuar para cumprir as metas pactuadas para o mês de novembro e de dezembro.
A Secretaria narrou que depois do acordo com o ICDF, cinco crianças já foram acolhidas pelo Instituto. “Duas já fizeram cirurgia. Uma delas, infelizmente, veio a óbito, e a outra passa bem. No início desta semana serão realizadas mais duas cirurgias”, disse a Saúde.

O Metrópoles tentou contato com a mãe de Khalleo, Íris Sena Sobrinho, 17 anos, sem sucesso. Segundo Karoline, a adolescente não está em condiçõs de falar no momento. No entanto, a família precisa de ajuda para custear o enterro do bebê.

“A família não tem muitos recursos e conseguiu um terreno cedido, mas tem que fazer três exumações para enterrar o Khalleo. Cada uma custa R$ 511”, explica.

Quem quiser doar, pode transferir qualquer quantia para a seguinte conta:

Banco Next – 237

Ag: 7160 | Cc: 370787-3

Raylane Lopes de Oliveira

CPF: 04143747111

Últimas notícias