Após fim do prazo para registro, veja os 12 nomes que disputarão o GDF

Além do cargo de governador, outros 10 concorrem ao Senado, 194 tentam vaga na Câmara dos Deputados e 566 são aspirantes à CLDF

atualizado 15/08/2022 19:42

Grama e prédio ao fundo Rafaela Felicciano/Metrópoles

Terminou, nesta segunda-feira (15/8), às 19h, o prazo para que partidos políticos, coligações e federações registrem o pedido de candidatura dos nomes que vão disputar as eleições de 2022. Para o Governo do Distrito Federal há 12 candidatos.

Além do atual governador, Ibaneis Rocha (MDB), que tenta a reeleição, há o Coronel Moreno (PTB), Izalci Lucas (PSDB), Keka Bagno (PSol), Leandro Grass (PV), Leila do Vôlei (PDT), Lucas Salles (DC), Rafael Parente (PSB), Renan Arruda (PCO), Robson (PSTU), Teodoro da Cruz Téo (PCB) e Paulo Octávio (PSD).

Veja resumo dos  candidatos ao GDF:

Ibaneis Rocha (MDB): eleito governador do DF em 2018, pelo MDB. Advogado, presidiu a seccional do DF da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-DF) de 2013 a 2015. Também foi diretor do Conselho Federal e corregedor-geral da entidade.

Izalci Lucas (PSDB):  presidente do PSDB-DF. Ocupa uma das cadeiras da bancada distrital no Senado Federal. A carreira política do parlamentar teve início em 2002, quando foi eleito deputado federal também pelo PSDB.

Keka Bagno (PSol): conselheira tutelar, foi anunciada como pré-candidata ao GDF em janeiro deste ano. Em 2018, concorreu ao cargo de vice-governadora na chapa encabeçada pela professora universitária Fátima Sousa.

Rafael Parente (PSB): educador, ocupou a chefia da Secretaria de Educação do DF por oito meses. Parente foi lançado como pré-candidato em outubro do ano passado.

Leila Barros (PDT): ganhou fama como jogadora de voleibol pela Seleção Brasileira de Vôlei Feminino. Na vida pública, foi secretária de Esportes e Lazer de 2015 a 2018 e, em 2019, assumiu o cargo de senadora pelo PDT.

Professor Lucas Salles (DC): professor universitário desde 2001, nas áreas de marketing e gestão pública, Lucas Salles é presidente do Democracia Cristã do DF.

Leandro Grass (PV): eleito deputado distrital pela Rede Sustentabilidade em 2018. Antes, foi professor da rede privada. Em 9 de março deste ano, trocou a Rede pelo PV.

Teodoro da Cruz Téo (PCB): advogado, pedagogo e servidor aposentado da Secretaria de Educação. Foi diretor da Associação dos Servidores dos Trabalhadores em Educação do DF (ASEF) e assessor da Coordenação Regional de Ensino do Guará.

Paulo Octávio (PSD): advogado por formação e empresário do ramo imobiliário. Na política, foi eleito duas vezes deputado federal, em 1990 e 1998; senador em 2002; e vice-governador no primeiro turno das eleições de 2006. Foi filiado ao PRN, PFL (depois DEM), PP e agora está no PSD, onde ocupa a posição de presidente regional. Em janeiro de 2022, foi condenado a pagar R$ 65,4 milhões em multas por improbidade administrativa na construção de um shopping.

Renan Arruda (PCO): bancário aposentado. Graduado em letras pela Universidade de Brasília (UnB), foi analista de TI no Banco do Brasil e ocupou cargo na diretoria-geral do Sindicato dos Bancários do DF. Em 2018, o PCO também lançou Renan Arruda ao GDF, mas teve o registro rejeitado pelo Tribunal Regional Eleitoral do DF (TRE-DF).

Robson (PSTU): professor da rede pública do DF, ativista sindical e do movimento negro. Foi candidato ao Senado pela Distrito Federal em 2010, 2014 e 2018, não chegando a ser eleito.

Coronel Moreno (PTB): ex-comandante do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (Bope-PMDF).

Outros cargos

Para concorrer a uma vaga no Senado Federal pelo DF, 10 candidatos registraram o pedido no Tribunal Superior Eleitora (TSE). 

O cargo de deputado federal tem 194 nomes na disputa. Já para as cadeiras da Câmara Legislativa do DF (CLDF) há 566.

No total, o DF teve 814 candidaturas, o menor número dos últimos três pleitos.

 

Mais lidas
Últimas notícias