Após 3 dias, CBMDF encerra buscas por afogado na Prainha do Lago Norte

Militares procuravam por um jovem que teria sumido no Lago Paranoá. Ninguém foi encontrado

atualizado 15/10/2020 20:50

bombeiros em barco com cão farejadorCBMDF/Divulgação

Depois de três dias de buscas por uma suposta vítima de afogamento na Prainha do Lago Norte, o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) decidiu encerrar definitivamente os trabalhos. A corporação foi acionada por banhistas que estavam no local no feriado de 12 de outubro.

Conforme explica a assessoria do CBMDF, o natural seria que o possível cadáver boiasse após 72 horas submerso. Como a procura não surtiu efeito e nenhum sinal de corpo boiando foi encontrado, os militares consideraram que pode ter havido um equívoco na comunicação.

“Não consideramos que houve má-fé do solicitante para esta ocorrência”, frisou o CBMDF.

Nesta manhã, as buscas pela suposta vítima foram reiniciadas por volta das 6h30. Militares em dois jet skis fizeram rondas no início da manhã para verificar se o corpo havia emergido no lago, uma vez que era o terceiro dia após o fato. Ao longo do dia, oito militares seguiram nas operações.

Além disso, os bombeiros empregaram o helicóptero Resgate 03 e dois cães farejadores: o Sheik, pastor alemão, e o Apolo, labrador retriever.

Veja, vídeo da operação desta quinta-feira:

Ninguém procurou desaparecido

Segundo o CBMDF, nenhum parente da suposta vítima entrou em contato para informar o sumiço. Na noite de segunda, os bombeiros chegaram a tratar a ocorrência como alarme falso, mas, depois, voltaram a considerar a hipótese de haver uma pessoa afogada no espelho d’água.

De acordo com o capitão Daniel Oliveira, do CBMDF, as equipes intercalaram recursos para que as buscas não fossem desgastantes. “Se realmente houve o afogamento, hoje fecha 72 horas e esse corpo vai boiar. Então, vamos manter mais um monitoramento”, informou antes do fim das operações.

Ele contou que, na segunda-feira (12/10), a corporação recebeu dois chamados para o afogamento na Prainha do Lago Norte. “Tivemos dois registros no 193 em que as pessoas disseram ter visto três jovens pulando de um cais e que só dois retornaram. E eles teriam passado por ali muito apreensivos enquanto voltavam”, relatou o militar.

“Então, demos uma primeira resposta emergencial. No mesmo dia da ocorrência falamos com as pessoas que ligaram no 193 e as informações foram bem conflitantes, mas resolvemos continuar o nosso trabalho. A partir do dia seguinte, aquele resgate passou a ser uma busca”, detalhou o capitão.

0

Até então, a única informação que se tinha veio de banhistas que estavam na região. Na Polícia Civil do DF (PCDF), também não há ocorrência de afogamento naquela localidade na segunda-feira nem de pessoa desaparecida nas proximidades da Prainha do Lago Norte.

Últimas notícias