Após 12 anos e em meio à pandemia, amigas de infância do DF se reencontram

Marina e Lorena perderam contato em 2008. Porém, um post no Twitter fez com que as duas retomassem a amizade. Agora, só faltam o abraço

Material cedido ao Metrópoles

atualizado 13/05/2020 10:33

Marina Maciel e Lorena Picorone tinham apenas 2 anos de idade quando começaram a amizade, em 2000. Está certo, eram muito novas, mas as famílias lembram que as vizinhas no Sudoeste não se separavam. E assim permaneceram até 2008. Mudanças e o tempo fizeram com que elas perdessem contato. Mas não o pensamento uma na outra.

Passaram-se 12 anos e Marina, 21, resolveu ir atrás da antiga amiga. “Já estava há muito tempo querendo reencontrá-la, mas só me lembrava dos nomes dos pais e dos irmãos. Estava difícil achar”, conta a jovem.

Não foi fácil, entretanto, em casa por causa do novo coronavírus, ela foi atrás na internet. O problema é que Lorena não é muito de redes sociais. Mas em um mundo tão conectado, a mensagem postada por Marina no Twitter chegou à família de Lorena em São João Nepomuceno (MG). Detalhe: as duas moram no Distrito Federal.

0

Assim, Marina conseguiu o tão esperado contato com a amiga.

“Quando a encontrei, ela lembrou de mim na hora. Por coincidência, ela estava vendo vídeos nossos no dia que mandei mensagem. Fizemos muitas coisas juntas. É uma pessoa especial”, conta Marina.

Lorena também não esconde a emoção ao lembrar de quando recebeu a mensagem. “Foi sensacional. Quando vi que era a minha amiga de infância, não acreditei”, conta a amiga. E dá detalhes da coincidência.

A mãe dela sempre gostou de fazer registros: andava com a filmadora o dia inteiro. Então, há muitos vídeos e fotos das duas.

“Naquele dia, eu resolvi rever algumas filmagens. No fim da noite, comecei a ver os vídeos em que a Marina e a Emanuela [outra amiga em comum e que também faz parte da história] apareciam. Relembramos alguns casos nossos e, bem na hora, a Marina me mandou mensagem. Foi uma coincidência muito louca, um reencontro que era para acontecer”, empolga-se Lorena.

Marina fala sobre o reencontro virtual:

“Estamos descobrindo muitas coisas interessantes. Somos mais parecidas do que imaginávamos, temos muito em comum, o que acho surpreendente. Está sendo uma experiência sensacional, estou amando”, completa continua Lorena.

Ela mora em Águas Claras. Marina, no Jardim Botânico. Por conta do isolamento social, o reencontro das amigas vai continuar apenas no campo virtual. Porém, quando a quarentena acabar, ambas vão realizar um encontro pessoal para matar a saudade com aquele abraço.

Últimas notícias