“Ano que vem a gente cuida do reajuste”, diz Ibaneis a servidores

Governador se reunirá com sindicatos na próxima semana. Prioridade neste ano é garantir outros benefícios, como o plano de saúde

Luís Nova/Administração de CeilândiaLuís Nova/Administração de Ceilândia

atualizado 14/08/2019 20:35

O governador Ibaneis Rocha (MDB) afirmou que retomará a discussão do pagamento da terceira parcela do reajuste de servidores públicos do Distrito Federal no início de 2020. Ainda segundo o governador, para minimizar os transtornos ao funcionalismo, a ideia é conceder outros benefícios, como plano de saúde, conforme antecipado pelo Metrópoles. As propostas serão discutidas em reunião do emedebista com sindicalistas na próxima semana.

“Reconheço o belíssimo trabalho que os servidores públicos realizam pelo Distrito Federal. É preciso que tenhamos um olhar especial voltado a eles. Mas o momento agora é de se criar outro ambiente econômico dentro da cidade, gerando emprego e renda. Eu já avisei a alguns sindicalistas que quero reuni-los na próxima semana. Nós vamos fazer tudo o que for possível por todos os servidores do Distrito Federal, contanto que não envolva, neste momento, o reajuste”, disse Ibaneis.

A declaração foi dada nesta quarta-feira (14/08/2019), durante o ato de sanção da lei que cria a Administração Regional do Sol Nascente e Pôr do Sol, ocorrido na sessão itinerante da Câmara Legislativa em Ceilândia (foto em destaque).

Na mesma solenidade, Ibaneis ressaltou que a situação econômica hoje requer cautela. “Não temos condições de, com 336 mil desempregados, esquecer a população. Nossa prioridade agora é investimento, geração de emprego e renda. No ano que vem a gente cuida do reajuste. Vamos estar com o orçamento organizado”, prevê.

Da mesma forma, o secretário de Fazenda, Orçamento, Planejamento e Gestão, André Clemente, confirmou à reportagem que trabalha com a expectativa de discutir o reajuste nos primeiros meses do ano que vem. “É uma meta do governador e de toda a equipe, mas dependemos do cenário real que vamos encontrar. Tudo está sendo avaliado criteriosamente. No final, ao apresentarmos o quadro, será o governador que definirá as prioridades de gestão”, afirmou.

Terceira parcela

O pagamento da terceira parcela do reajuste aprovado em 2013, ainda na gestão Agnelo Queiroz (PT), voltou à pauta após um áudio gravado pelo governador e enviado à presidente do Sindicato dos Servidores da Saúde (SindSaúde), Marli Rodrigues, ter circulado na manhã desta quarta nas redes sociais. Na gravação, divulgada no site da entidade, o emedebista cumprimenta a sindicalista, informa a intenção do governo local de oferecer plano de saúde a todos os servidores e, no final, trata da principal reivindicação das categorias do serviço público distrital.

“Eu quero que saibam [os servidores] que, mesmo numa época de dureza, de crise, com a recessão divulgada pelo governo federal, o GDF [Governo do Distrito Federal] dá atenção especial aos seus servidores e às suas famílias. Certamente, no ano que vem, com a recuperação econômica, todos nós sentaremos à mesa – todos os sindicatos, todos aqueles que representam os servidores públicos do DF – para que possamos tratar de um reajuste digno para as categorias”, declarou Ibaneis no áudio.

Marli Rodrigues reconhece o esforço do governador em honrar a promessa feita na campanha. “Os servidores públicos da Saúde do Distrito Federal, durante os quatro anos de governo de Rodrigo Rollemberg, foram vítimas de ataques, de perseguição e de calote. Foram quatro anos de intenso sofrimento. Passamos para o governo Ibaneis e nós temos, sim, a expectativa de que o governo venha a cumprir o seu compromisso de campanha”, afirmou.

Ainda de acordo com a sindicalista, os servidores de nível médio e técnico foram os únicos que não receberam a parcela, que deveria ter sido incorporada em 2015. “Todas as outras categorias de nível superior já tiveram o aumento. Nossa angústia é grande, e a sensação de discriminação ainda permanece. Mas o governador sabe o tamanho da nossa expectativa e reconhece o quanto é justo que essa terceira parcela seja quitada.”

Últimas notícias