Anderson Torres: “Atitude de policiais em nada corresponde às diretrizes”

Secretário afirma que a pasta de Segurança do DF e o comando da PMDF estão apurando agressão de policial a um homem negro em Planaltina

atualizado 02/06/2020 15:30

O secretário de Segurança do Distrito Federal (SSP-DF), Anderson Torres, divulgou nota em que comenta o caso de um policial militar que agrediu um homem, na noite de segunda-feira (01/06), em Planaltina. De acordo com o titular da pasta, a atitude não corresponde ao que é preconizado pela corporação.

Imagens gravadas por meio de um celular circulam em redes sociais e mostram agressão de um integrante da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) a uma pessoa negra. Nas cenas, dois militares andam atrás da vítima, que está sem camisa. Um dos PMs bate quatro vezes com um cassetete nas costas do homem, sem que houvesse revide por parte do agredido.

“A SSP-DF e o comando da PMDF estão adotando todas as providências legais de apuração dos fatos ocorridos em vídeo que circula desde esta madrugada nas redes sociais”, diz o secretário no comunicado.

De acordo com a nota, já está em curso a instauração de inquérito policial militar. “E deixamos claro, desde já, que as atitudes dos policiais em questão em nada correspondem às diretrizes de abordagem e conduta preconizadas pela corporação”, frisa Torres.

Veja o vídeo:

É possível ouvir a vítima perguntando o que teria feito e gritando de dor enquanto é atingido pelos golpes. Em determinado momento, chega a cair. Os policiais continuam perseguindo o homem e, então, a filmagem acaba.

O que diz a PMDF

Um dos policiais foi ouvido na Corregedoria-Geral da PMDF. E, nesta terça (02/06), o órgão instaurou procedimento de apuração.

Em nota, a corporação afirma que foi acionada pela população para atender denúncias de perturbação da tranquilidade e da ordem pública no local. E confirma que o final da ação foi registrado conforme o vídeo, mas pontua não ter havido qualquer contextualização racista.

“Não há que se falar em atitude racista, mas de excesso na ação policial”, diz o comunicado. “Informamos que os policiais serão ouvidos, no devido processo disciplinar/criminal, pela Corregedoria, para verificar as circunstâncias do fato e que todo o excesso será apurado com o rigor que o caso requer”, finaliza.

0

Últimas notícias